Internacional Tropas do grupo miliciano Wagner anunciam que vão recuar para evitar 'banho de sangue'

Tropas do grupo miliciano Wagner anunciam que vão recuar para evitar 'banho de sangue'

Milicianos que estavam indo a Moscou, vindos do sudoeste da Rússia, estão retornando a seus acampamentos

AFP
Resumindo a Notícia
  • O chefe do grupo paramilitar Wagner anunciou que suas tropas vão voltar aos acampamentos.

  • Objetivo do recuo é evitar 'banho de sangue'.

  • O presidente bielorrusso, aliado de Putin, negociou com o líder do grupo.

  • Desde o anúncio da rebelião, homens do Wagner estavam presentes em três regiões russas.

Anúncio do recuo das tropas milicianas foi feito pelo chefe do grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin

Anúncio do recuo das tropas milicianas foi feito pelo chefe do grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin

HANDOUT/TELEGRAM/@CONCORDGROUP_OFFICIAL/AFP - 05.05.2023

O líder do grupo paramilitar Wagner, Yevgeny Prigozhin, anunciou neste sábado (24) que seus homens, que se dirigiam a Moscou a partir do sudoeste da Rússia, retornam aos acampamentos, para evitar um banho de sangue.

"Agora é a hora em que o sangue pode correr. Por isso, nossas colunas recuam, para retornarem aos acampamentos", declarou Prigozhin em mensagem publicada no aplicativo Telegram.

Compartilhe esta notícia no Whatsapp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Desde o anúncio da rebelião, na véspera, os homens do Wagner estavam presentes em três regiões russas: Rostov, Voronej e Lipetsk.

Antes do anúncio de Prigozhin, o presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, aliado de Putin, declarou que havia negociado com o líder paramilitar para "deter os movimentos" de seus homens e evitar uma nova escalada, e que este havia aceito a proposta.

Veja fotos do motim do grupo paramilitar Wagner contra o Exército russo

Últimas