Internacional Trump recebe parentes de vítimas e sugere que professores usem armas

Trump recebe parentes de vítimas e sugere que professores usem armas

Na Flórida, estudantes realizaram grande manifestação em homenagem às vítimas de ataque a escola e exigiram maior controle de armas

Trump, familiares, vítimas, professores, armas

Samuel Zeif, sobrevivente de ataque na Flórida, fala em encontro

Samuel Zeif, sobrevivente de ataque na Flórida, fala em encontro

Reuters

Nem mesmo as manifestações de milhares de estudantes na Flórida, exortando o governo americano a iniciar um controle da venda de armas, serviu para convencer o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Em reunião, nesta quarta-feira (21), em Washington, com familiares e vítimas de vários tiroteios nos Estados Unidos, ele defendeu somente algumas sugestões que, na opinião dele, reduziriam esse tipo de crime, como um maior rigor na verificação de antecedentes criminais dos compradores. 

Mas, por outro lado, sugeriu que professores ou funcionários das escolas utilizassem armas escondidas, para defenderem, sem esperar a chegada da polícia, as instituições em casos de ataques como o que ocorreu na escola MSD (Marjory Stoneman Douglas), em Parkland, Flórida, no último dia 14, quando 17 pessoas morreram.

— Há uma coisa que se chama armamento oculto, em que se trabalha de forma individual quando se tem pessoas treinadas para essas situações. Os professores teriam uma permissão especial e não haveria zonas livres de armas ao redor das escolas, para afastar o risco de haver esses maníacos.

Trump reconheceu que se trata de uma proposta polêmica. O presidente, porém, ouviu o apelo de vítimas que são contrárias à venda de armamentos no país. Samuel Zeif, sobrevivente do ataque na MSD, afirmou que não entende o motivo de alguém como ele ainda poder ir a uma loja e comprar uma arma de guerra.

Sobreviventes de massacre da Flórida pedem controle de armas

Trump, que já havia defendido o fim das vendas de equipamento que permita um maior número de disparos, ressaltou também a importância da fixação de uma idade mínima para a compra da arma, assim como a avaliação de aspectos ligados à saúde mental do comprador.

Antes da reunião, uma manifestação reuniu milhares de pessoas, a maioria estudantes, em West Boca Raton, na Flórida. Eles ignoraram apelos iniciais de administradores escolares, que se disseram contrários à interrupção das aulas, e caminharam por cerca de 9 km até a escola MSD, em homenagem às vítimas e em defesa de um amplo controle de armas.