"Tudo certo para trazer corpo", diz mãe de brasileira morta em Lisboa 

Maria Luzia da Costa disse ainda que não foi procurada por governo brasileiro

"Tudo certo para trazer corpo", diz mãe de brasileira morta em Lisboa 

Ivanice foi morta por engano

Ivanice foi morta por engano

Arquivo pessoal

O corpo da brasileira Ivanice Carvalho da Costa, de 36 anos, morta por engano pela polícia de Lisboa, em Portugal, na madrugada da quinta-feira (16), pode chegar em breve ao Brasil. A informação foi confirmada ao R7 pela mãe da vítima, Maria Luzia Silva Carvalho da Costa, que mora em Amaporã, no Paraná.

— A minha irmã que mora em Portugal, Célia Maria da Silva Nunes, me telefonou hoje (sexta-feira) pela manhã e falou que já está tudo certo para o corpo de minha filha vir pra cá. Ela não me informou quem vai custear, mas não serei eu. Ela apenas disse que está tudo resolvido. 

Maria Luzia é trabalhadora rural aposentada, vive com um salário mínimo e afirmou não ter condições financeiras para custear a viagem do corpo de sua filha até o Brasil. O marido está desempregado e a família conta com a ajuda das irmãs de Ivanice para arcar com os gastos de casa. A própria Ivanice, que trabalhava há mais de 15 anos em Portugal, costumava mandar dinheiro para ajudar os pais. "Eu nem me informei sobre o quanto eu gastaria, porque eu sei que trazer o corpo sozinha eu não conseguiria", disse. A aposentada ainda afirmou que não foi procurada pelo governo brasileiro acerca do ocorrido.

— Pra mim, ninguém ligou. A minha irmã em Portugal tem um advogado e é quem está lidando com essas questões. Eu não sei se ela recebeu algum auxílio do governo do Brasil por meio do consulado em Lisboa. 

Maria Luzia completou que não sabe informar se a família, vai, de fato, processar o Estado português. "Tudo depende do que vai acontecer, eu só vou conseguir falar sobre isso depois que o corpo de Ivanice for mandado pra cá", conclui.

Na madrugada da quinta-feira, a brasileira Ivanice Carvalho da Costa foi morta pela PSP (Polícia de Segurança Pública portuguesa) no bairro de Encarnação, localizado no extremo nordeste da capital portuguesa. O carro onde a vítima estava com seu namorado, também brasileiro, foi confundido com um veículo utilizado por criminosos em um roubo a banco ocorrido na mesma noite. A corregedoria da polícia portuguesa, IGAI (Inspeção Geral da Administração Interna), abriu um inquérito para investigar o caso.

Em nota enviada ao R7, o Ministério das Relações Exteriores avisa que a Embaixada e o Consulado-Geral do Brasil em Lisboa prestam assistência à família e se mantêm em contato com as autoridades portuguesas, na expectativa de novas informações no âmbito do inquérito realizado pela polícia. Leia o comunicado na íntegra: 

A Embaixada e o Consulado-Geral do Brasil em Lisboa tomaram conhecimento, na manhã de hoje, 16 de novembro, do falecimento de nacional brasileira em ação da polícia portuguesa, durante a madrugada de ontem, em Lisboa.

Desde então, as autoridades consulares brasileiras têm mantido contato com a família da cidadã, para prestar assistência. Recebida na manhã de hoje no Consulado do Brasil, a família informou que já conta com advogado constituído.

A Embaixada e o Consulado em Lisboa seguirão em contato com a família e com as autoridades portuguesas, na expectativa de novas informações, no âmbito do inquérito realizado pela polícia.

Em razão do sigilo da investigação policial em curso pelas autoridades portuguesas, e em respeito à privacidade da cidadã brasileira, não são fornecidas informações de cunho pessoal.