Internacional Vídeo: Ucrânia destrói tanque russo com arma doada pela Suécia

Vídeo: Ucrânia destrói tanque russo com arma doada pela Suécia

Ministério da Defesa publicou imagens do momento em que um veículo T-90M é atingido por um míssil disparado de um Carl-Gustaf

  • Internacional | Do R7

Tanque T-90M é considerado como joia russa

Tanque T-90M é considerado como joia russa

Reprodução Twitter/Ministério da Defesa da Ucrânia

O Ministério da Defesa da Ucrânia publicou nesta terça-feira (10) um vídeo em que mostra o momento em que um tanque russo T-90M é destruído por um disparo de um Carl-Gustaf M4, arma sueca desenvolvida para inutilizar veículos blindados.

Pelo Twitter, o Ministério da Defesa ucraniano afirmou que o tanque de Moscou estava perto da região de Stary Saltiv, próxima a Kharkiv. O perfil do órgão ainda agradeceu o governo da Suécia pelo fornecimento de armas para o combate à Rússia.

“O orgulho da indústria russa de tanques (T-90M) foi destruído pelo lançador portátil de mísseis antitanque Carl-Gustaf. Agradecemos ao povo sueco e ao rei por sua ajuda.”

A Suécia, que forneceu o armamento à Ucrânia, discute internamente se deve aderir à Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). O partido social-democrata, que comanda o país, pode decidir antes do próximo domingo (14) se dará esse passo em direção à Aliança.

Outro país nórdico que pode entrar na Otan é a Finlândia. Segundo o pesquisador Charly Salonius-Pasternak, “é 100% certa” a candidatura finlandesa ao grupo de defesa até o fim do ano.

Ambas as nações são localizadas próximas à Rússia, o que aumenta o temor da população de uma invasão similar à ucraniana — que também tinha intenção de aderir a Otan.

Em março, o governo da Rússia alertou Finlândia e Suécia sobre as “consequências” de uma possível entrada na Otan.

"Naturalmente, as próprias autoridades suecas e finlandesas têm que decidir, mas precisam entender as consequências desse passo para nossas relações bilaterais e a arquitetura de segurança europeia em geral, que agora está em crise", disse a porta-voz de Relações Exteriores russa, Maria Zakharova, em comunicado.

Últimas