Minas Gerais Apuração contra médico que deu atestado anti-máscara dura 6 meses

Apuração contra médico que deu atestado anti-máscara dura 6 meses

Conselho Regional de Medicina abriu sindicância para apurar conduta do ginecologista Sérgio Marcussi; ele ofereceu atestados em rede social

"Cabresto social", disse médico sobre máscara

"Cabresto social", disse médico sobre máscara

Reprodução/Facebook

A investigação contra o médico Sérgio Marcussi, que ofereceu, pelas redes sociais, atestados médicos a pacientes que se recusam a utilizar a máscara como forma de prevenção à covid-19, pode durar até seis meses.

O CRM-MG (Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais) abriu uma apuração de ofício, a partir das denúncias recebidas a partir das postagens que o próprio médico ginecologista e nutrólogo publicou. Após a repercussão, Marcussi deletou seus perfis nas redes sociais.

De acordo com a presidente do CRM-MG, Cibele Carvalho, a investigação - e uma eventual punição - dependem de uma tramitação regida pelo Código de Processo de Ética Médica, que corre em sigilo.

São três etapas: a primeira é a que ocorreu nesta quarta-feira (28), com a abertura de uma sindicância. Se houver indícios de irregularidade, a investigação se converte em um processo ético. 

Nessa segunda etapa, serão ouvidas testemunhas, são colhidas provas e o médico terá direito a ampla defesa. Ao fim do processo, um colegiado formado entre 11 e 21 conselheiros julga o caso.

— Geralmente, se conclui uma sindicância em seis meses. Pode demorar um pouco mais, dependendo de ter ou não respostas do médico em questão. 

Cibele não quis dar sua opinião, ou a do CRM sobre o caso, já que ela também seria responsável por julgar o profissional, caso um processo ético médico seja aberto contra ele.

Atestados

Em uma postagem no Twitter, o médico Sérgio Marcussi, respondendo à publicação do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), que chamou a máscara de "focinheira ideológica", disse que assinou 20 atestados médicos naquele dia. 

"A luta diaria. Hoje fiz 20 atestados desses. Vamos disseminado (sic)", afirmou.

Médico respondeu a publicação do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ)

Médico respondeu a publicação do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ)

Reprodução/redes sociais

Em outra postagem, ele dava o telefone da clínica e pedia que os interessados enviassem dados pessoais, como nome, data de nascimento, CPF, estado civil, telefone e e-mail.

Médico oferece atestado para usuários por meio do Twitter

Médico oferece atestado para usuários por meio do Twitter

Reprodução/redes sociais

Além disso, Marcussi também foi filmado criticando o uso de máscaras contra a covid-19.

A gravação foi feita durante um evento político, na capital mineira, nesta terça-feira (27).

"Fiquei muito satisfeito quando cheguei aqui [no evento] e vi todos conscientes, sem máscara. Porque é isso que é o normal da sociedade. A questão da máscara é um instrumento de cabresto. É um cabresto social eu não tenho dúvida", afirmou.

Outro lado

Procurado pelo R7, Sérgio Marcussi voltou a defender que a lei federal resguada o direito de pessoas com "quaisquer deficiências" serem liberadas do uso das máscaras. O médico disse, ainda, que não quer comentar sobre o caso.

Últimas