Arquidiocese de BH é condenada em R$36 mil após acidente de faxineira

A ex-doméstica caiu de uma escada enquanto limpava a vidraça de uma igreja; a fratura do ombro esquerdo comprometeu completamente seu trabalho

Arquidiocese foi considerada negligente em acidente

Arquidiocese foi considerada negligente em acidente

Divulgação/Arquidiocese

A Arquidiocese de Belo Horizonte foi condenada pela Justiça do Trabalho, nesta terça-feira (19), a pagar R$ 36 mil de indenização por danos morais e materiais a uma ex-empregada que sofreu um acidente de trabalho ao limpar a vidraça do salão de festas de uma igreja.

A mulher, de 54 anos, caiu de uma escada de dois metros e fraturou o ombro esquerdo, problema que, segundo laudo médico, acarretou a perda definitiva da sua capacidade de trabalho. Uma avaliação médica apontou, dois anos após o acidente, que o problema de saúde continuava.

Leia mais: Arquidiocese de BH tenta barrar preservação da Serra da Piedade

A ex-empregada solicitou a ação trabalhista, mas, em um recurso, a Arquidiocese negou, novamente, a responsabilidade sobre o acidente. Para a entidade, a culpa da queda é da própria trabalhadora, que realizou as atividades sem o devido cuidado.

Na decisão de segundo grau, porém, o TRT-MG (Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais) reconheceu a culpa da Arquidiocese pelo acidente. De acordo com o juiz Danilo Siqueira de Castro Faria, relator no processo, a própria representante da organização reconheceu a negligência por parte da empregadora: em depoimento, ela afirmou que a faxineira contratada nunca recebeu treinamento para trabalhar em escada e em altura.

Ao concluir seu voto, o juiz salientou que, devido à idade mais avançada e ao baixo grau de escolaridade da vítima, ela terá dificuldade de se reinserir no mercado de trabalho em outras profissões que não a de auxiliar de serviços gerais. 

*Estagiária do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli