Minas Gerais Ativista pelos direitos das mulheres é morta com tiro na cabeça em MG

Ativista pelos direitos das mulheres é morta com tiro na cabeça em MG

Principal suspeito do crime, que ocorreu em Dom Silvério (MG), disse que tiro aconteceu durante "roleta russa"; suspeito pode responder por homicídio

Uma mulher de 43 anos foi morta com um tiro na cabeça na cidade de Dom Silvério, a 180 km de Belo Horizonte. Segundo o principal suspeito, em depoimento à Polícia Militar, a morte teria acontecido durante uma "roleta-russa".

Juliana Teixeira Cordeiro era conhecida na cidade por ter uma página de defesa dos direitos das mulheres nas redes sociais. O principal suspeito do crime é o namorado da vítima, Higor Luis Barcelos, de 21 anos.

De acordo com o tenente Gilmar Miranda, o homem tem diversas passagens criminais por desobediência, furto, roubo e tráfico de drogas, e foi encontrado escondido dentro de um sofá.

— Recebemos a denúncia da localização do suspeito e localizamos ele dentro de um sofá. Quando removemos o sofá, conseguimos ver as pernas dele. Logo depois ele se entregou.

Os policiais ainda investigam as circunstâncias do crime. De acordo com o tenente, o suspeito declarou, em depoimento, que o casal jogava “roleta-russa” e que ela teria pedido para que ele atirasse nela.

Vítima era defensora dos direitos das mulheres

Vítima era defensora dos direitos das mulheres

Reprodução / Record TV Minas

— Ele teria mirado a arma na própria cabeça e apertado o gatilho, mas estava sem bala. Na sequência, ele mirou na cabeça da mulher e a própria vítima teria pedido para ele realizar o disparo. Infelizmente, ela não teve a mesma sorte.

O caso foi encaminhado para a Polícia Civil, que ainda vai escutar outras testemunhas. A corporação ainda aguarda a perícia, para entender a dinâmica do crime. Apesar disso, o tenente Gilmar afirma que o suspeito poderá responder criminalmente pelo crime.

— Mesmo que tenha sido durante o jogo, ele pode responder por homicídio doloso.

A morte foi lamentada por diversas pessoas da cidade, incluindo sua melhor amiga, a psicóloga Roniara Nunes, que pede justiça pela morte da amiga.

— Uma mulher tão maravilhosa ser assassinada assim, de repente. Ela vai me fazer falta todos os dias.

Últimas