Ato em Contagem (MG) homenageia negro morto em supermercado

Grupo pretende cobrar mudanças na "cultura" da empresa e quer conversar com gerente de uma das lojas, que fica às margens da BR-381, na Grande BH

Carrefour de BH foi alvo de protestos na sexta (20)

Carrefour de BH foi alvo de protestos na sexta (20)

Shirley Barroso / Record TV Minas

Moradores de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, organizam neste sábado (21), um protesto em homenagem ao aposentado João Alberto Silveira Freitas, assassinado dentro de um supermercado no Rio Grande do Sul.

A manifestação vai ser realizada em frente ao supermercado Carrefour localizado na BR-381, no bairro Riacho das Pedras, e deve começar por volta das 16h.

De acordo com o ativista Rafael Aquino, um dos organizadores da mobilização, a ideia de realizar o protesto surgiu durante uma live com outros ativistas negros de Contagem. Ele afirma que o protesto não visa cobrar apenas a empresa.

— Nós queremos atitude, não só da Carrefour, mas também do Estado, porque a mortandade de jovens negros é alta, é uma realidade. É preciso providência, não apenas nota de repúdio.

Veja: Rapper Djonga participa de protesto em BH contra assassinato de negro

Segundo Aquino, o protesto será pacífico e tem como um dos objetivos cobrar, do gerente da unidade, mudanças na “cultura” da empresa. O ativista alega que pessoas negras são “constantemente perseguidas por seguranças das unidades do supermercado em BH e Contagem”.

Morte

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, morreu após ser agredido por dois homens dentro de uma unidade do Carrefour em Porto Alegre (RS), na noite da última quinta-feira (21). O laudo preliminar da perícia aponta que Freitas morreu por asfixia. O crime aconteceu na véspera do Dia da Consciência Negra e reacendeu o debate sobre o racismo no país.

Rapper Djonga participou do protesto em BH

Rapper Djonga participou do protesto em BH

Shirley Barroso / Record TV Minas

Protestos pelo Brasil

A morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, gerou uma onda de protestos em várias cidades do país. Em Belo Horizonte, um ato realizado na tarde de sexta (20) reuniu dezenas de participantes que passaram por pelo menos duas unidades da rede no Centro da capital. O rapper Djonga acompanhou parte da manifestação acompanhado de amigos.

Outro lado

A reportagem entrou em contato com o Carrefour, mas, até o momento, não recebeu o posicionamento da empresa.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli.