Betim (MG) cobra solução para represa que encheu com as chuvas

Moradores que vivem próximo à Várzea das Flores, que está com 100% da capacidade, estão com medo de alagamentos; Copasa criou grupo de trabalho

Represa está com 100% da capacidade

Represa está com 100% da capacidade

Divulgação/Copasa

A Prefeitura de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, e a Copasa (Companha de Abastecimento e Saneamento de Minas Gerais) resolveram criar um grupo de trabalho para discutir soluções para a situação da represa Várzea das Flores.

Devido às fortes chuvas que caem na região, há três dias, o reservatório está com 100% da capacidade de armazenamento de água. A situação gerou temor em pessoas que vivem próximo ao local sobre a possibilidade de transbordamento da represa e, consequentemente, de alagamentos nos bairros vizinhos. 

Em conjunto, representantes da Copasa e da prefeitura decidiram criar um grupo de trabalho para atuat de forma preventiva no entorno da represa, a partir da elevação do nível do ribeirão Betim. 

A partir da próxima segunda-feira (3) o grupo irá se reunir na secretaria municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável para elaborar um plano de ação para enfrentamento de situações adversas em caso denovas chuvas nas próximas semanas. 

De acordo com a Copasa, nos últimos dias a empresa tem retirado cerca de 4.000 litros por segundo de água do local por meio de bombas e não registrou inundação ou dano ao longo da calha do ribeirão Betim.