Minas Gerais BHTrans: Polícia Civil entrega documentos "sumidos" à CPI

BHTrans: Polícia Civil entrega documentos "sumidos" à CPI

Oito caixas de documentos sobre a licitação de 2008 ficaram desaparecidas por meses e foram recuperadas pela Polícia Civil

  • Minas Gerais | Camila Cambraia, da RecordTV Minas

Presidente da CPI, vereador Gabriel Azevedo (sem partido) recebeu pen drive com documentos

Presidente da CPI, vereador Gabriel Azevedo (sem partido) recebeu pen drive com documentos

Reprodução/Vereador Gabriel Azevedo

Vereadores integrantes da CPI da BHTrans, criada para investigar supostas irregularidades no contrato das empresas de transporte público de Belo Horizonte, receberam, nesta segunda-feira (18) documentos do processo de licitação feito em 2008. Os documentos, que ficaram, ao menos, nove meses desaparecidos, foram apreendidos e digitalizados pela Polícia Civil de Minas Gerais, em um trabalho que durou 25 dias. 

Nas oito caixas, há informações relativas à concorrência que definiu as empresas de ônibus que iriam operar o sistema de transporte público na capital mineira até 2028. 

O material foi apreendido pela Polícia Civil em setembro, depois de terem "sumido" do arquivo. O órgão abriu uma investigação há cerca de um mês para apurar o desaparecimento dos documentos mas, de acordo com o delegado Jonas Andrade Pavan, ainda não é possível dizer se houve algum tipo de crime. 

Agora, a CPI da BHTrans, cujo prazo de duração foi prorrogado até meados de novembro, vai analisar os documentos. A previsão é que o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito seja entregue até o dia 8 de novembro.

De acordo com o vereador Gabriel Azevedo (sem partido), que preside a CPI, a última movimentação dos documentos que consta no arquivo da prefeitura foi registrada em 2011. 

— Esses documentos estavam sendo solicitados pela CPI desde o inicio dos nossos trabalhos e o presidente da BHTrans, Diogo Prosdócimi, chegou a achar que estava desaparecido e no dia 13 de setembro essas caixas reapareceram. Agora, passamos a ter a cópia digitalizada. Ainda não dá para saber se algum documento desapareceu. 

Sumiço

Além da Polícia Civil, a própria BHTrans abriu um processo administrativo para investigar o sumiço dos documentos do processo de licitação de 2008. As caixas, que estavam sumidas desde, pelo menos, o início do ano, foram devolvidas no dia 10 de semtembro pelo ex-gerente da empresa Adilson Elpídio Daros, que atuava na Gerência de Controle, Estudos Tarifários e Tecnologia da BHTrans. 

Chefe do setor durante uma auditoria contestada pelo Ministério Público em 2018, ele foi exonerado em agosto deste ano em meio às investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito.

O processo licitatório que resultou no contrato entre a BHTrans e as empresas de ônibus está na mira da CPI, que tem indícios de prática de cartel, dentre outras irregularidades. Os vereadores ainda buscam uma forma de cancelar o contrato para que ele seja encerrado antes de 2028.

Últimas