Minas Gerais Briga marca reunião na Câmara de BH sobre abertura do comércio

Briga marca reunião na Câmara de BH sobre abertura do comércio

Vereadores se desentenderam para saber quem iria comandar o encontro no lugar da presidente da Casa, Nely Aquino, que não estava presente

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Vereadores discutiram sobre presidência

Vereadores discutiram sobre presidência

Reprodução / Record TV Minas

A reunião na Câmara de Vereadores de BH que discutiu a reabertura do comércio durante a pandemia do novo coronavírus foi marcada por tumulto para decidir quem iria comandar o encontro no lugar da presidente Nely Aquino (PODE), que não estava presente.

No início da sessão, o vereador Léo Burguês (PSL) alegou que deveria ser o líder, uma vez que o encontro foi convocado por ele. O vice-presidente da Casa, Jair di Gregório (PP), por outro lado, se recusou a deixar a presidência e afirmou que havia sido designado para comandar o trabalho por Nely Aquino, que teria um compromisso importante nesta manhã.

Insatisfeito com a situação, Burguês deixou a reunião, assim como os representantes dos sindicatos e da prefeitura que haviam sido convidados a participar do encontro.

Mesmo com a saída, a reunião aconteceu com os vereadores que se mantiveram no local. O grupo decidiu que vai enviar ao prefeito Alexandre Kalil, nesta segunda-feira (13), um pedido de flexibilização do isolamento relacionado ao comércio e vai pedir a volta das aulas nas escolas municipais.

O vereador Jair di Gregório, que ficou internado durante 13 dias com coronavírus, defendeu que a reabertura. Para o parlamentar, as mudanças são válidas, desde que sejam planejadas e estabeleçam os cuidados de higiene que devem ser tomados.

— Daqui a pouco vamos parar de morrer de covid e vamos morrer de fome e desempregados. Precisamos criar condições para os soldados que estão dispostos a ir à guerra.

Do lado de fora, Burguês recolheu as demandas dos empresários que deixaram a reunião e preparou outro ofício que também será encaminhado ao prefeito. O requerimento pede, além da flexibilização, benefícios fiscais para o empresariado.

Na prática, os documentos vão servir como sugestões para Kalil, que pode ou não acatar os pedidos. Na última semana, o prefeito de BH apertou ainda mais as regras da quarentena para a cidade.

O R7 procurou a presidência da Câmara Municipal para esclarecer o motivo da falta da presidente Nely Aquino, mas ainda não teve retorno. A reportagem também aguarda posicionamento da prefeitura sobre a reunião.

Últimas