Minas Gerais Capitólio: polícia diz que é precoce apontar responsáveis pela tragédia

Capitólio: polícia diz que é precoce apontar responsáveis pela tragédia

Delegado responsável pelo caso afirmou que investiga se fatores externos aceleraram a queda que matou dez pessoas

  • Minas Gerais | Ana Gomes, Do R7

Delegado concedeu entrevista nesta sexta-feira

Delegado concedeu entrevista nesta sexta-feira

Record TV Minas/Reprodução

A Polícia Civil de Minas Gerais informou que investiga a possibilidade de fatores externos terem acelerado a queda da estrutura rochosa em Capitólio, a 293 km de Belo Horizonte, mas que ainda é precoce apontar responsáveis. Ao todo, dez pessoas morreram na tragédia e mais de 30 ficaram feridas. 

"É obvio que ali há uma exploração de turismo. Neste momento, seria leviano outorgar a responsabilidade. Nós vamos exaurir toda e qualquer possibilidade", disse delegado responsável pelas investigações, Marcos Pimenta. 

A autoridade alertou ainda que o processo de queda das rochas é natural, mas que todas as hipóteses serão levantadas.

“Vamos analisar se houve ou não a participação de terceiros para acelerar a queda. Caso qualquer órgão seja levantado, e ficar comprovado uma causa entre a ausência de fiscalização e a queda, ele será responsabilizado”.

Pimenta afirmou ainda que já coletou 17 depoimentos, entre eles o do prefeito de Capitólio, Cristiano Silva (PP), e não há previsão para a conclusão do inquérito. 

“O foco não é procurar culpados e sim respostas. Para tentar evitar que outras pedras caiam e causem novos acidentes”, afirma.

Últimas