Minas Gerais Colégio Militar de BH decide suspender as aulas presenciais

Colégio Militar de BH decide suspender as aulas presenciais

Decisão foi tomada depois de decisão judicial acatou pedido do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal e vale a partir desta terça (22); 

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli e Célio Ribeiro, do R7

Aulas no Colégio MIlitar foram suspensas após um dia

Aulas no Colégio MIlitar foram suspensas após um dia

Divulgação / Colégio Militar de BH

O Colégio Militar de Belo Horizonte decidiu suspender o retorno às aulas presenciais a partir desta terça-feira (22). Um comunicado assinado pelo coronel Régis Rodrigues Nunes foi enviado aos pais e responsáveis de alunos da instituição de ensino na noite desta segunda-feira (21). 

"Informo que está suspensa, momentaneamente, a retomada das aulas presenciais dos alunos do CMBH, desde já, o que implica o cancelamento das atividades escolares presenciais a partir de 22 de setembro de 2020", diz o comunicado. 

Comunicado foi enviado aos pais de alunos na noite de hoje

Comunicado foi enviado aos pais de alunos na noite de hoje

Reprodução/CMBH

A decisão do Colégio Militar foi tomada após decisão da Justiça Federal na tarde desta segunda-feira (21), que determinou a suspensão das aulas presenciais na unidade e fixou em R$ 50 mil por dia a multa em caso de descumprimento.  

Decisão

A Justiça Federal acolheu pedido do Sindicato dos Trabalhadores Ativos, Aposentados e Pensionistas do Serviço Público Federal no Estado de Minas Gerais. O sindicato pediu que todos os professores do Colégio Militar de Belo Horizonte permanecessem trabalhando de forma remota "enquanto perdurarem os efeitos da pandemia de covid-19". 

O pedido também inclui a designação de uma perícia no local para que sejam verificadas as condições de trabalho. 

O Colégio Militar comunicou a comunidade escolar na última quarta-feira (17) que as aulas seriam retomadas de forma presencial a partir de hoje. De fato, as atividades retornaram nesta segunda-feira

Ainda segundo a decisão, apesar de a instituição de ensino pertencer à União, deve observar os critérios adotados pelo município de Belo Horizonte, já que as prefeituras têm autonomia para decidir sobre a questão. 

"De fato, na cidade de Belo Horizonte nenhum estabelecimento de ensino retornou às atividades presenciais, muito embora algumas atividades estejam sendo gradualmente retomadas", diz trecho da decisão.

Últimas