Minas Gerais Creches que entraram na Justiça planejam volta às aulas em BH

Creches que entraram na Justiça planejam volta às aulas em BH

Dos 11 centros educacionais beneficiados pela liminar, três afirmam estar prontos e já têm data para retorno; Prefeitura de BH recorre na Justiça

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli e Célio Ribeiro*, do R7

Escolas se preparam para reabrir em BH após liminar

Escolas se preparam para reabrir em BH após liminar

Reprodução / Pixabay

As creches e pré-escolas que entraram na Justiça contra a Prefeitura de Belo Horizonte pedindo a reabertura dos espaços já planejam a volta às aulas. Ao menos três das 11 instituições beneficiadas pela liminar já tem até mesmo data para o retorno.

Uma liminar da Justiça de Belo Horizonte nesta terça-feira (29) suspendeu os efeitos do decreto municipal que cassou temporariamente os alvarás das escolas. Com isso, ao menos em tese, elas já podem abrir as portas para atividades presenciais. A prefeitura recorreu da decisão nesta quarta-feira (30).

Data para reabrir

A Escola Visconde de Sabugosa, no bairro Mangabeiras, região Centro-Sul da capital mineira é a que pretende retornar mais cedo. A previsão é que o espaço reabra já na próxima segunda-feira (5).

A direção afirmou que todo o local foi adaptado e que “a equipe será totalmente treinada nesta quinta-feira (1º). Segundo a direção, houve uma saída considerável de crianças do maternal, com idade de até três anos, mas tanto os alunos da educação infantil quanto os pais e responsáveis estão animados para o retorno.

Já a Escola Infantil Sol, localizada no bairro Santo Antônio, também na região Centro-Sul, afirma que está finalizando o processo de adaptação e treinamento. Segundo a direção da instituição, a previsão é de que o espaço volte a receber crianças no dia 15 de outubro.

Ainda segundo a escola, alguns pais estão receosos, mas “tem muita gente animada e precisando desse retorno, principalmente por causa do trabalho”.

A última instituição que já tem previsão de retorno é o Centro de Educação Algodão Doce, no bairro São Lucas, na região Leste. O espaço deve voltar a receber alunos a partir do dia 19 de outubro.

De acordo com a direção, a prioridade da instituição é orientar os pais e “construir esse retorno junto com os responsáveis”. A instituição afirmou que, desde a última segunda (28), está recebendo crianças para “atividades extracurriculares”, principalmente brincadeiras.

Outras escolas

A Escola Lúcia Casasanta, no bairro Sion, afirmou que ainda não tem data de retorno, mas diz que contratou uma empresa para elaborar um protocolo e adaptar o espaço.

A direção pretende aguardar uma decisão definitiva da Justiça, para que não hajam surpresas, mas eles acreditam que a liminar não será facilmente derrubada, “porque o embasamento jurídico foi impecável”.

As escolas Ipê Amarelo, no Buritis, e Trilha da Criança, no Anchieta, afirmaram que estão adaptando o espaço e ainda não têm uma previsão para o retorno. O CLIC (Centro Lúdico de Interação e Cultura), no São Pedro, também afirmou que ainda não tem uma data certa para a volta às aulas.

As escolas Recreio, no São Bento e Letra, no Buritis, não atenderam as ligações, assim como o Centro Educacional Arte do Saber, no Vera Cruz, e Transmutare, no Estoril.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas