Minas Gerais Entregadores fazem protesto em BH por melhores condições de trabalho

Entregadores fazem protesto em BH por melhores condições de trabalho

Trabalhadores cadastrados em aplicativos também pedem aumento na remuneração paga por viagens; atos aconteceram na Praça da ALMG

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7, com Record TV Minas

Manifestantes carregavam cartazes e faixas

Manifestantes carregavam cartazes e faixas

Reprodução / Record TV Minas

Entregadores de aplicativos em Belo Horizonte se juntaram ao protesto nacional marcado para esta quarta-feira (1º) e fizeram atos pedindo melhores condições de trabalho.

Na capital mineira, a manifestação aconteceu enfrente à ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais), no bairro Santo Agostinho, na região Centro-Sul. Os trabalhadores levaram motocicletas e bicicletas usadas para fazer as entregas. O grupo carregava faixas e cartazes que também pediam uma maior remuneração em cada viagem feita.

Segundo os organizadores, aproximadamente 200 pessoas fizeram parte do ato em Belo Horizonte. A PM (Polícia Militar) não calcula o número de envolvidos. Os organizadores pediram que os entregadores que não puderam participar do ato desligassem os aplicativos e não realizassem viagens nesta quarta-feira.

Entregadores e motoristas de transporte por aplicativo não têm vínculo empregatício com as empresas em que são cadastrados. Todo o contato entre eles, as empresas e os clientes é feito pela internet. Em fevereiro deste ano, o TRT emitiu um parecer indicando que não há relação de empregado e funcionário entre os motoristas associados e as companhias dos aplicativos.

A reportagem procurou as principais empresas de entrega que atuam na capital mineira, mas ainda não teve retorno. A Amobitec (Associação Brasileira de Mobilidade e Tecnologia), que representam as empresas de aplicativo, divulgou uma nota destacando que as companhias têm adotado uma série de medidas de combate ao coronavírus e ressaltou que a categoria está aberta a diálogos com os entregadores cadastrados.

“É importante esclarecer que as empresas associadas à Amobitec não trabalham com esquema de pontuação para a distribuição de pedidos e deixam claro que a participação em atos como a manifestação desta quarta-feira (1/7) não acarretará em punições ou bloqueios de qualquer natureza”, destacou o texto.

Confira a íntegra da nota da Amobitec:

“O contexto da pandemia da Covid-19 teve efeitos severos sobre a economia, afetando a renda de milhões de brasileiros. Mesmo diante de um cenário crítico, as empresas associadas à Associação Brasileira de Mobilidade e Tecnologia (“AMOBITEC”) que atuam no setor de delivery implementaram, desde o início da pandemia, diversas ações de apoio aos entregadores parceiros, tais como a distribuição gratuita ou reembolso pela compra de materiais de higiene e limpeza, como máscara, álcool em gel e desinfetante, e a criação de fundos para o pagamento de auxílio financeiro para parceiros diagnosticados com Covid-19 ou em grupos de risco. Além disso, os entregadores parceiros cadastrados nas plataformas estão cobertos por seguro contra acidentes pessoais durante as entregas.

As plataformas de delivery operam sistemas dinâmicos e flexíveis, que buscam equilibrar as necessidades de entregadores, de restaurantes e de usuários. As ações de combate à crise foram desenvolvidas mesmo em um cenário de acirramento da competição entre empresas e aumento expressivo no número de entregadores. Diante de um cenário econômico crítico como o da pandemia da Covid-19, a flexibilidade dos aplicativos foi essencial para que centenas de milhares de pessoas, entre entregadores, restaurantes, comerciantes e microempresas, tivessem uma alternativa para gerar renda e apoiar o sustento de suas famílias.

É importante esclarecer que as empresas associadas à AMOBITEC não trabalham com esquema de pontuação para a distribuição de pedidos e deixam claro que a participação em atos como a manifestação desta quarta-feira (1/7) não acarretará em punições ou bloqueios de qualquer natureza.

A AMOBITEC e suas empresas associadas que atuam no setor de delivery reafirmam a abertura ao diálogo, sempre atentas às reivindicações dos entregadores parceiros para aprimorar a experiência de todos nas plataformas.”

Últimas