Minas Gerais Família pede resposta para morte de mulher que caiu de cobertura

Família pede resposta para morte de mulher que caiu de cobertura

Ato ocorreu na Pampulha, dois meses após Hilma Balsamão morrer ao cair de um apartamento no bairro Castelo, em Belo Horizonte

Familiares e amigos da administradora de imóveis Hilma Balsamão, que morreu ao cair da cobertura de um prédio em Belo Horizonte, realizaram um ato, na noite da última segunda-feira (25), cobrando respostas para o caso. Hilma morreu no fim de novembro e as investigações, que ainda estão em andamento, completaram dois meses recentemente.  

Os parentes fizeram um minuto de silêncio em memória da vítima e, em seguida, soltaram balões. Para Mauro Filho, irmão de Hilma, a busca é pela verdade.

— O que nós estamos fazendo aqui e estamos esperando após 60 dias é uma resposta. É isso que a família e todos nós queremos. Seja qual for, que a verdade apareça.

O ponto escolhido foi a orla da Lagoa da Pampulha, local que, segundo os parentes, Hilma gostava de frequentar.

Queda de cobertura

A administradora de imóveis faleceu após cair de uma altura de aproximadamente 15 metros, no dia 20 de novembro do ano passado, em uma cobertura no bairro Castelo, na região Noroeste de Belo Horizonte.

Hilma participava de uma festa na cobertura

Hilma participava de uma festa na cobertura

Reprodução/ Record TV

Hilma participava de uma festa no apartamento do empresário Gustavo Veloso, dono do imóvel. Ele prestou depoimento à polícia, assim como outros presentes na festa. As investigações seguem em segredo de justiça. A mãe da vítima, Excelsa Balsomão, espera respostas para o caso.

— Nós estamos destruídos, ninguém conseguiu levar a vida para frente normalmente, não tem como. Enquanto não soubermos o que aconteceu realmente, não tem jeito de tocar a vida.

Últimas