Minas Gerais Familiares de mulher que morreu ao cair de prédio rechaçam suicídio

Familiares de mulher que morreu ao cair de prédio rechaçam suicídio

Mãe e filha de Hilma Balsamão prestaram depoimento nesta quarta (9); ela estava em uma festa na casa do namorado e foi encontrada morta

  • Minas Gerais | Kiuane Rodrigues, da RecordTV Minas

Familiares da administradora de imóveis Hilma Balsamão, que morreu ao cair da cobertura de um prédio no bairro Castelo, em Belo Horizonte, no mês passado, rechaçam a hipótese de que ela teria cometido suicídio. Ela estava em uma festa, na casa do namorado, o empresário Gustavo Veloso, quando caiu de uma altura de 15 metros.

A mãe de Hilma, Excelsa Balsamão e a filha prestaram depoimento na manhã desta quarta-feira (9).

De acordo com a mãe da vítima, ela fazia planos a curto prazo e que o que a família quer é a verdade.

— A gente não sabe a verdade. Minha filha amava a vida, a filha, as coisas que conquistou. Tinha planos a curto prazo, uma cirurgia marcada, o que nos faz crer que não é nada disso.

Mulher caiu da cobertura de prédio

Mulher caiu da cobertura de prédio

Reprodução/ Record TV

Um dos irmãos de Hilma, Mauro Alves, foi mais enfático e diz que a família descarta a possibilidade de suicídio.

— Essa versão de que houve suicídio a família descarta. Qualquer possibilidade disso. A gente quer saber o que de fato aconteceu. O que foi apresentado até agora, a família não aceita.

Na porta da delegacia, a irmã gêmea de Hilma, Michele Balsamão, disse estar revoltada.

— Está difícil. A ligação entre gêmeos é muito mais forte que de um irmão normal. Eu sinto dor, revolta de não saber o que aconteceu e isso está me consumindo. Eu moro em São Paulo e ela aqui. Eu tenho mensagens dela, até brigando comigo ela sorria. Esse era o jeito dela de lidar com a vida.

Investigação

A Polícia Civil diz que as investigações estão em andamento e seguem em segredo de Justiça. E que outras informações só serão divulgadas ao final do inquérito, que foi aberto no dia 24 de novembro e tem previsão de conclusão de 30 dias.

De acordo com a delegada Letícia Gamboge, que está a frente do caso, as investigações estão sendo conduzidas de forma imparcial.

— A Polícia Civil esta conduzindo o caso com imparcilalidade, total isenção e visando a verdade real, sobretudo as circunstancias que permeiam a morte da Hilma.

Relembre o caso

Hilma Balsamão foi encontrada morta por moradores de um prédio no bairro Castelo no térreo do edifício no dia 21 de novembro. Eles chamaram a Polícia Militar, que, ao chegar ao local, registrou no boletim de ocorrência, que a morte foi fruto de um suicídio. De acordo com um dos relatos dos moradores, as brigas entre o casal eram constantes.

Segundo o boletim de ocorrência, o casal começou a discutir na festa. O empresário pediu para seu filho gravar a briga, mas a administradora de imóveis teria jogado o celular no chão. Durante a discussão, a vítima teria se jogado da varanda a uma altura de aproximadamente 15 metros.

O empresário Gustavo Veloso foi o primeiro a prestar depoimento. Além dele, a polícia já ouviu o filho dele, de 17 anos, uma amiga de Hilma e a sobrinha dela, além do músico Wellington Costa.

Últimas