Minas Gerais Funcionários do metrô da Grande BH decidem manter greve

Funcionários do metrô da Grande BH decidem manter greve

Categoria paralisou parte das atividades há 38 dias, questionando decisões relacionadas à privatização do serviço

Trabalhadores fizeram assembleia para discutir greve

Trabalhadores fizeram assembleia para discutir greve

Helen Oliveira / Record TV Minas

Os trabalhadores do metrô da Grande BH decidiram, na noite desta quarta-feira (27), a manter a greve da categoria iniciada no último dia 21 de março.

Os servidores pedem mais abertura em relação às decisões sobre a privatização da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos). O Sindimetro (Sindicato dos Metroviários de Minas Gerais) não informou quando deve acontecer uma nova assembleia para decidir o futuro do movimento.

Desde o início da paralisação, os trens não circulam nos horários de pico e funcionam apenas de 10h às 17h. Segundo a CBTU, cerca de 70 mil passageiros são afetados em dias úteis. Não há previsão para retorno da operação integral.

A greve já dura 38 dias, sendo a segunda maior paralisação do serviço de trens urbanos da capital mineira nos últimos 10 anos. A maior foi entre maio e junho de 2012, com 39 dias. A reportagem aguarda retorno da CBTU sobre a decisão.

Privatização

A expectativa do governo é licitar a concessão do metrô neste ano. Os servidores questionam, dentre outros pontos, a estabilidade dos funcionários. Segundo a categoria, foi prometido a eles garantia de emprego por um ano após a venda da companhia de trens.

O projeto de desestatização também prevê investimentos no serviço. Atualmente, o sistema da capital mineira vai da regional Venda Nova ao Eldorado, em Contagem. A expectativa é que as 19 estações sejam reformadas. Outro braço do projeto prevê a criação da linha 2, que vai do bairro Calafate, na região oeste de BH, à regional Barreiro, com ligação à linha 1 pela estação Nova Suíça.

Últimas