Minas Gerais Governo multa empresa por piche que caiu em córrego de BH

Governo multa empresa por piche que caiu em córrego de BH

Força-tarefa foi montada para evitar que o material chegasse à Lagoa da Pampulha, cartão-postal de Belo Horizonte

  • Minas Gerais | Taís Heise*, da RecordTV Minas

Shirley Barroso / Record TV Minas

A Feam (Fundação Estadual do Meio Ambiente de Minas Gerais) aplicou multa de R$ 17.888,625 na empresa que transportava uma carga de piche que derramou em um córrego de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, após um acidente, na última quarta-feira (16).

Segundo a instituição, a Indústria Nacional de Asfaltos S/A foi responsabilizada por "causar intervenção de qualquer natureza que resulte em poluição, degradação ou danos aos recursos hídricos, às espécies vegetais e animais, aos ecossistemas e habitats ou ao patrimônio natural ou cultural, ou que prejudique a saúde, a segurança e o bem-estar da população."

Além da multa, que pode ainda aumentar, a empresa também é responsável pela remoção do piche do córrego. A Fundação ainda informa que estão sendo feitas medidas para ajudar a aliviar a situação do vazamento.

Cerca de 30 toneladas do material usado em asfaltamento vazou após o acidente entre duas carretas. O material caiu no córrego Sarandi, que desagua na Lagoa da Pampulha, cartão postal de Belo Horizonte.

Desde então, foi criada uma força-tarefa a fim de minimizar os estragos causados pelo vazamento. A operação acontece em parceria entre as prefeituras de Contagem e Belo Horizonte, a Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais) e a Feam (Fundação Estadual do Meio Ambiente). O trabalho tenta evitar a poluição da lagoa.

A reportagem procurou a Indústria Nacional de Asfaltos S/A e aguarda retorno.

*Estagiária sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas