Minas Gerais Homem tenta matar ex-mulher no Centro de BH e é impedido por PM

Homem tenta matar ex-mulher no Centro de BH e é impedido por PM

Suspeito não aceitava o fim do relacionamento e tentou matar a ex a facadas, mas foi impedido por um militar à paisana; ele foi preso em seguida

  • Minas Gerais | Regiane Moreira, da Record TV Minas

Um homem de 48 anos suspeito de tentar matar a ex-mulher no Centro de Belo Horizonte foi preso na manhã desta segunda (7). Um policial militar à paisana conseguiu impedir o feminicídio.

O suspeito teria saído de casa disposto a matar a antiga companheira. A mulher, que prefere não se identificar, conta que foi abordada pelo suspeito no centro da capital e passou a receber diversos golpes de faca.

— A faca estava escondida em algum lugar. Ele veio e foi me dando facada, mas Deus me abençoou e eu consegui segurar a mão dele.

Veja: Suspeito de tentar matar a ex com facadas é preso em flagrante em BH

Próximo do local, estava um policial militar finalizando o expediente de serviço. Acreditando que fosse uma tentativa de assalto, ele se aproximou e apontou a arma para o suspeito, que soltou a mulher e fugiu, mas foi preso logo depois.

Relacionamento

A vítima afirma que passou nove anos junto com o suspeito. Ela afirma que o homem era uma pessoa tranquila e que nunca havia brigado ou ameaçado ela. O namoro entre eles terminou há oito meses e, desde então. o comportamento do suspeito mudou.

Suspeito foi preso no Centro de Belo Horizonte

Suspeito foi preso no Centro de Belo Horizonte

Reprodução / Record TV Minas

O homem estaria revoltado com o fato da mulher estar se relacionando com outro homem. A vítima conta que, um dia antes de tentar matá-la, ele havia feito diversas ameaças pelo celular.

— Ele falava que se eu não fosse dele, eu não seria de mais ninguém.

O tenente Washington Amaral, que acompanhou a ocorrência, afirma que qualquer pessoa ameaçada dentro de um relacionamento deve registrar um boletim de ocorrência.

— Não tente discutir com a pessoa. Chame a Polícia Militar. Isso pode ser decisivo para que fatos como o de hoje não aconteçam mais.

Últimas