Justiça barra reunião que poderia autorizar mineração no Rola Moça

Liminar suspendeu sessão do Copam que julgaria pedido da Mineradora Geral do Brasil para reativar mina Casa Branca, em Brumadinho

Reserva é alvo de atividade de mineradora

Reserva é alvo de atividade de mineradora

Evandro Rodney/Imprensa MG

A Justiça determinou nesta segunda-feira (26), que o Copam (Conselho Estadual de Política Ambiental de Minas Gerais) retire da pauta da sessão desta terça-feira (27) o pedido de exploração da mina Casa Branca pela MGB (Mineradora Geral do Brasil).

A decisão, em caráter liminar, é da juíza da 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte, Cláudia Costa Cruz Teixeira Fontes. 

O processo julgaria a reativação da mina Casa Branca, localizada dentro do Parque Estadual da Serra do Rola Moça, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. O local fica a 19 km da mina Córrego do Feijão, onde uma das barragens se rompeu em janeiro de 2019, matando 270 pessoas.

Neste domingo (25), cerca de 200 moradores fizeram uma manifestação no Mirante dos Veados, próximo à entrada da mina. As pessoas saíram em carreata e protestaram com faixas e cartazes contra a reativação da atividade mineral na região.  

O Ministério Público de Minas Gerais recomendou a não autorização da atividade mineradora na área do parque. O órgão considera uma ameaça à preservação da reserva.