Minas Gerais Justiça Federal em MG rejeita denúncias contra Pimentel e Joesley

Justiça Federal em MG rejeita denúncias contra Pimentel e Joesley

MPF acusou ex-governador de MG, empresário e escritório de advocacia por corrupção e lavagem de dinheiro

  • Minas Gerais | Ricardo Vasconcelos, da Record TV Minas, com Pablo Nascimento, do R7

Juiz federal mandou suspender processo contra

Juiz federal mandou suspender processo contra

Divulgação MG

A 11ª Vara da Justiça Federal em Minas Gerais rejeitou uma denúncia do MPF (Ministério Público Federal) pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção contra o ex-governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT), o empresário Joesley Batista e um escritório de advocacia de Belo Horizonte

A decisão, publicada nesta quinta-feira (22), foi assinada pelo juiz Jorge Gustavo Serra de Macêdo Costa, nesta terça-feira (20). Segundo a denúncia, em 2013, quando Pimentel era ministro do Desenvolvimento, teria recebido de uma das empresas de Batista R$5,2 milhões por suposta influência junto à então presidente Dilma Rousseff.

Leia também: Pimentel e ex-chefe da PM são indiciados por obstrução de Justiça

O MPF defendeu que os pagamentos teriam sido feitos por meio de contratos falsos da empresa com um escritório de advocacia, que teria sido responsável por passar os valores ao petista e a pessoas ligadas a ele, entre junho de 2013 e fevereiro de 2015.

Ainda de acordo com a denúncia, o repasse mensal de R$ 300 mil teria sido acordado durante um jantar na casa de Bastista, em junho de 2013 e os pagamentos teriam sido iniciados 17 dias depois.

No entanto, o juiz Jorge Gustavo Serra de Macêdo Costa rejeitou os argumentos apresentados, mandou dar baixa no processo e intimar os envolvidos na ação. A reportagem procurou os citados, mas ainda não teve retorno.

Últimas