Minas Gerais Justiça manda grevistas ampliarem escala mínima do metrô de BH

Justiça manda grevistas ampliarem escala mínima do metrô de BH

Serviço deve funcionar das 5h30 às 10h e das 16h30 às 20h, a partir da próxima segunda-feira (21), com o início da paralisação

Metroviários questionam privatização

Metroviários questionam privatização

Kiuane Rodrigues/Record TV Minas

A Justiça do Trabalho determinou, nesta quinta-feira (17), que os funcionários do metrô da Grande BH aumentem a escala mínima de funcionamento prevista para a greve anunciada para a próxima segunda-feira (21).

Os metroviários queriam manter o serviço ativa das 10h às 17h, mas o primeiro vice-presidente do TRT-MG (Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais), desembargador César Pereira da Silva Machado Júnior, determinou o funcionamento em escala máxima nos horários de pico, que vão das 5h30 às 10h e das 16h30 às 20h.

A decisão atende a um pedido da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos). Os trabalhadores anunciaram a nova paralisação por tempo indeterminado sob alegação de falta de discussão por parte do governo em relação à privatização da linha da Grande BH.

O desembargador Machado Júnior também cancelou a continuação de audiência de conciliação marcada para o próximo dia 28 de março. "Concedo  ao  requerido o prazo de 15 dias para,  querendo,  apresentar  sua defesa", disse o magistrado sobre o novo prazo para resposta do Sindicato dos Metroviários. A reportagem procurou a instituição e aguarda retorno.

Últimas