Minas Gerais Justiça mantém preso membro de quadrilha que atacou banco em Itajubá (MG)

Justiça mantém preso membro de quadrilha que atacou banco em Itajubá (MG)

Homem, de 33 anos, tinha recebido o benefício de soltura por ser considerado de baixa periculosidade; ele está detido desde o crime

  • Minas Gerais | Ana Gomes, Do R7

Ainda não se sabe o que foi levado do banco

Ainda não se sabe o que foi levado do banco

Reprodução/Record TV Minas

A Justiça de Minas Gerais decretou a prisão preventiva do homem detido por envolvimento em ataque a banco em Itajubá, a 450 km de Belo Horizonte. A medida foi tomada, nesta segunda-feira (27), após o MPF (Ministério Público Federal) entrar com um recurso contra a liberdade provisória concedida ao acusado.

O homem, de 33 anos, foi detido em flagrante por agir como olheiro e dar apoio ao grupo criminoso que invadiu a agência bancária, na noite da última quarta-feira (22). Na última sexta-feira (24), o juiz Gustavo Moreira Mazzilli, da 2ª Vara Federal Cível e Criminal da SSJ de Pouso Alegre, aprovou o benefício alegando que o preso não é de alta periculosidade.

“Não há nenhum elemento que indica ser o autor criminoso de alta periculosidade, não tendo ele sido flagrado com porte de arma, bem como confessou a participação da empreitada ilícita, tendo contribuído para elucidação da sua participação, na medida da segurança de sua vida”, justificou o magistrado. 

No documento, o juiz estabelece uma fiança de R$ 2.000, além de uma série de condições, para a soltura. O advogado de defesa do envolvido, Gleydston Lopes, informou que vai solicitar o habeas corpus do cliente. O acusado continua detido no Presídio Regional de Itajubá.

Ataque em Itajubá

Polícia de SP apreendeu armas

Polícia de SP apreendeu armas

Divulgação /PCSP

Uma quadrilha fortemente armada atacou Itajubá, cidade localizada no sul de Minas Gerais, quase na divisa com São Paulo. Na ação, os criminosos invadiram uma agência bancária da Caixa Econômica Federal. Até o momento, a Polícia Federal não divulgou se algo foi levado do local,

Durante o ataque, o grupo também cercou batalhões da Polícia Militar e houve troca de tiros. Quatro militares e um estudante foram baleados. Um deles foi atingido no braço por um tiro de fuzil e teve de passar por cirurgia, mas não corre risco de morte. Os demais não se feriram gravemente e se recuperam bem. 

A quadrilha fugiu rumo a São Paulo usando pelo menos oito veículos, que já foram apreendidos pela PM. Agentes da força de segurança montaram cercos em cidades do sul de Minas na expectativa de localizar os envolvidos.

No último sábado (25), a Polícia Civil do estado paulista apreendeu armas que teriam sido usadas pelo grupo e prendeu um homem que estaria com o material. Um fuzil, munições da arma, 30 coletes balísticos, pistolas, uma pistola Glock com rajada, três AK 47 e uma arma de calibre 12 estão entre os itens localizados.

Militares já haviam encontrado bombas, munições e material usado para furar pneus de carros na rota de fuga da quadrilha. A polícia acredita que pelo menos 12 pessoas tenham integrado o grupo criminoso.

Últimas