Minas Gerais Kalil cita morte de Paulo Gustavo para pedir cuidado no Dia das Mães

Kalil cita morte de Paulo Gustavo para pedir cuidado no Dia das Mães

Prefeito anunciou novas flexibilizações do comércio em BH e disse que a data deverá ser a última sem a presença física das mães

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Prefeito disse que esse Dia das Mães pode ser o último na pandemia

Prefeito disse que esse Dia das Mães pode ser o último na pandemia

Record TV Minas/Reprodução

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), relembrou a morte do ator Paulo Gustavo, nesta terça-feira (6), para pedir que os jovens tenham cautela no Dia das Mães, comemorado neste domingo (9). 

— Eu já não tenho a minha, mas muitos de vocês, que são mais jovens, vão se encontrar com as mães. A morte do Paulo Gustavo é simplesmente a mrote de um ente muito querido a todos, mas é mais um CPF que se foi e que não passará mais um Dia das Mães com a mãe dele, que está viva. Ele era um rapaz de 42 anos. 

Ainda de acordo com Kalil, parte da população não ouviu os alertas da prefeitura sobre a gravidade da doença. 

— Há um ano e 3 meses, eu avisei que estávamos em guerra e ninguém acreditou. Depois, disse que cartão de plano de saúde não era vacina e parte da população não acreditou. Disse, ainda, que este poderia ser o último Natal para muitas famílias, e ninguém acreditou. Isso resultou em uma explosão de dados. Sobre festas, praia, viagem, irresponsabilidade, negacionismo, eu me nego a falar, porque acho que isso é ate biblico: não vou jogar pérola a porcos.

Flexibilização

O prefeito anunciou, em entrevista coletiva, novas medidas de flexibilização na capital mineira. A partir deste fim de semana, o comércio poderá voltar a abrir as portas aos domingos - exceto os bares e restaurantes. No caso desses estabelecimentos, o horário de funcionamento foi estendido até às 19 horas. 

A decisão foi tomada após reunião entre o prefeito e integrantes do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, que ocorreu a portas fechadas, nesta quarta-feira (5), para analisar os indicadores  números da pandemia na cidade. Os três indicadores que monitoram o avanço do coronavírus na capital mineira apresentaram redução por três dias seguidos nesta semana.

Funcionamento da cidade

Desde o dia 22 de abril, o comércio não essencial de Belo Horizonte está autorizado a funcionar, seguindo protocolos e com restrições de horário para alguns setores. Bares, restaurantes e outros estabelecimentos que servem refeições só podem receber clientes de segunda à sábado, entre 11h e 16h. Aos domingos, apenas os serviços essenciais podem funcionar. Nem os supermercados estão autorizados a abrir nestas datas.

As escolas também foram autorizadas a receber os alunos de 0 a 5 anos após 13 meses de fechamento. Ainda assim, algumas categorias negociam mais flexibilizações, como é o caso da Abrasel-MG (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais) que enviou ao prefeito um pedido para que bares e restaurantes possam abrir no período noturno. A entidade alega que o funcionamento após às 18h é responsável por 70% do faturamento dessas empresas.

Últimas