Linha de cerol danifica helicóptero dos Bombeiros de Minas Gerais

Duas hastes precisarão ser trocadas por equipamentos avaliados em US$ 40 mil; não há peças disponíveis para entrega imediata

Duas hastes serão trocadas

Duas hastes serão trocadas

Corpo de Bombeiros / Divulgação

Um helicóptero do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais precisará de um reparo avaliado em US$ 40 mil após ter uma peça danificada por uma linha de pipa com cerol. A aeronave ficará aproximadamente 40 dias no solo.

Na sexta-feira (15), uma linha embaraçou no Arcanjo 4 durante um pouso no aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte. Segundo a corporação, "a linha danificou duas hastes de comando de passo, equipamento responsável pela inclinação das pás da aeronave e que permite que ela voe".

Duas hastes precisarão ser trocadas, mas não há peças disponíveis para pronta-entrega.

Uso de cerol é crime previsto nos artigos 129, 132 e 278 do CPB (Código Penal Brasileiro), além do artigo 37 da Lei das Contravenções Penais.