Minas Gerais MP do Acre quer que goleiro Bruno use tornozeleira eletrônica 

MP do Acre quer que goleiro Bruno use tornozeleira eletrônica 

Condenado pela morte de Eliza Samúdio em 2010, Bruno foi contratado recentemente pelo Rio Branco, do Acre e já se mudou para o outro Estado

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Bruno foi contratado pelo Rio Branco (AC)

Bruno foi contratado pelo Rio Branco (AC)

Reprodução Instagram

O Ministério Público do Acre pediu que o goleiro Bruno Fernandes, recém contratado pelo Rio Branco, passe a usar tornozeleira eletrônica. De acordo com om promotor de Justiça Tales Fonseca, ele também deve apresentar uma carta de emprego ao Iapen (Instituto de Administração Penitenciária), uma exigência imposta a todos os presos que cumprem pena no regime semiaberto. 

Condenado a 22 anos e três de prisão pela morte e ocultação do cadáver de Eliza Samúdio, crime ocorrido em 2010, Bruno Fernandes teve direito à progressão para o regime semiaberto no ano passado. Antes de assinar contrato com o Rio Branco, ele havia jogado dois amistosos com o Poços de Caldas F.C, clube da cidade do sul de Minas. 

Ainda conforme o promotor, no Acre, os presos monitorados por tornozeleira eletrônica não podem jogar futebol para não danificar o aparelho, no entanto, ele acredita que, no caso de Bruno, o clube poderá arcar com eventuais danos ao equipamento. 

- Como ele veio para jogar futebol e este é o trabalho dele, pedi que o empregador arque com as consequências dos danos para não onerar o Estado

Regras

O promotor ressaltou, ainda, que o goleiro deverá seguir outras regras, como se recolher após às 18 horas durante a semana, e não poderá sair aos domingos e feriados nacionais. Em caso de jogos em horários que conflitam com a determinação, ele deverá pedir autorização à Justiça.

A reportagem entrou em contato com a defesa de Bruno e aguarda posicionamento sobre o pedido do MP. 

Últimas