Minas Gerais MPF vai investigar cortes em outra universidade de Minas Gerais

MPF vai investigar cortes em outra universidade de Minas Gerais

Depois de abrir inquéritos para saber impacto dos cortes na UFMG, Cefet e IFMG, órgão também vai apurar consequências da ação na UFTM, em Uberaba

MPF vai investigar impacto dos cortes na Federal do Triângulo Mineiro

MPF vai investigar impacto dos cortes na Federal do Triângulo Mineiro

Reprodução

O MPF (Ministério Público Federal) em Uberaba, cidade do Triângulo Mineiro distante 482 km de Belo Horizonte instaurou nesta quarta-feira (15), um inquérito civil para apurar as consequências do eventual corte no repasse de recursos à UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro).

O órgão pediu informações à Reitoria da instituição sobre o eventual bloqueio de repasse de recursos e sobre a situação geral do custeio da universidade.

Para o procurador da República Felipe Augusto de Barros Carvalho Pinto, responsável pelos inquéritos, o objetivo é apurar como o eventual corte de verbas afetará as atividades acadêmicas e administrativas na universidade.

A instauração do inquérito ocorre uma semana após o MPF abrir uma outra investigação para saber o impacto dos cortes em três instituições federais de ensino localizadas em Belo Horizonte: UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), Cefet-MG (Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais) e IFMG (Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais). 

Mobilização

Nesta quinta-feira (15), milhares de estudantes protestam pelas ruas das capitais do país contra os cortes de recursos para as instituições federais de ensino. Em Belo Horizonte, alunos do Cefet-MG fizeram uma passeata pela avenida Amazonas, uma das mais importantes da capital mineira, e uma manifestação ocorre na Praça da Estação, na região central.