Minas Gerais Mulher chamada de feia e esquisita pelo chefe ganha indenização

Mulher chamada de feia e esquisita pelo chefe ganha indenização

Vítima trabalhava em uma empresa de gestão de processos de BH; supervisor teria o costume de humilhar a funcionária em público

Mulher sofria assédio moral na frente dos funcionários

Mulher sofria assédio moral na frente dos funcionários

Reprodução / Pixabay

Uma empresa de gestão e otimização de processos de Belo Horizonte foi condenada a indenizar uma ex-funcionária que teria sido chamada de “feia e esquisita” pelo supervisor.

No processo, a trabalhadora contou que o chefe exercia “pressão psicológica” sobre ela e tinha o costume de agredi-la verbalmente na frente dos colegas de trabalho. A vítima também alegou que recebia um tratamento diferenciado dos outros funcionários, sendo até impedida de usar o telefone.

Uma testemunha confirmou que o supervisor da empresa tratava todos os funcionários bem, exceto a funcionária em questão, que era xingada por ele durante conversas com outras pessoas.

— Ele fazia comentários dizendo que ele não gostava dela, que achava ela feia, esquisita. Ele não gostava de conversar diretamente com ela, tanto que sempre pedia para que outros passassem os recados.

Veja: Loja é condenada por vincular bônus de funcionária à perda de peso

Um dos episódios de humilhação aconteceu durante o horário de almoço. O supervisor teria se aproximado da funcionária e afirmado que ela era feia e tinha o cabelo feio. Uma testemunha afirma que uma das funcionárias chegou a criticar a fala do supervisor, mas ele se defendeu falando que a vítima estava rindo da “piada”.

A desembargadora Cristiana Fenelon considerou que as testemunhas eram suficientes para provar o assédio sofrido pela funcionária e condenou a empresa a indenizar a vítima em R$ 8 mil, o dobro do valor pedido pela trabalhadora.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Flavia Martins y Miguel

Últimas