Minas Gerais Nova variante: influencer brasileira não consegue voltar da África

Nova variante: influencer brasileira não consegue voltar da África

Danielle Diz foi para a África do Sul para um trabalho voluntário; devido às restrições de fronteira, voos do país foram cancelados 

  • Minas Gerais | Do R7

Danielle não tem previsão de voltar para o Brasil

Danielle não tem previsão de voltar para o Brasil

Reprodução/Instagram

A influencer Danielle Diz está retida na África do Sul após ter o seu voo de retorno ao Brasil cancelado. O governo brasileiro impediu viagens internacionais do país africano devido ao surgimento de uma nova variante do coronavírus no continente, a Ômicron.

A jovem mineira, que soma quase 6 milhões de seguidores no Instagram, estava na cidade de Plettenberg Bay para participar de um trabalho voluntário com crianças e adolescentes que enfrentam problemas familiares como vítimas de violência doméstica.

Em suas redes sociais, ela contou que após ser informada sobre o cancelamento, viajou de ônibus para outra cidade, onde encontrou um grupo de brasileiros que também não conseguiu voltar para o Brasil.

Nesta segunda-feira (29), Danielle pretende ir ao consulado para se informar sobre o que pode ser feito. “A gente deu a má sorte de isso acontecer no fim de semana. Hoje, iremos ao consulado. Estamos com outros 90 brasileiros. Todo mundo passando por essa situação. Todos desesperados querendo voltar, mas não temos previsão de nada”, relatou em sua conta do Instagram.

A assessoria da influencer afirmou que não conseguiu contato com ela e que, neste momento, pode apenas confirmar que “Dani foi fazer uma ação voluntária no Protecting Children, situado na famosa Garden Route. Agora, ela não consegue voltar”.

Variante Ômicron

Há uma semana, cientistas que trabalham na África do Sul detectaram a nova variante do Sars-CoV-2, chamada de Ômicron.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) considerou, na última sexta-feira (26), a nova cepa preocupante. A variante apresenta ao menos 36 mutações da proteína spike (parte do vírus responsável pela entrada na célula humana) e dez mutações só no receptor ACE2 (partícula que ajuda a criar esse ponto de entrada). Em comparação, a variante Beta tem três e a Delta, dois.

Ainda não há estudos conclusivos sobre a cepa nem sobre sua capacidade de transmissão e mortalidade.

No sábado (27), o Brasil publicou uma portaria proibindo voos internacionais que tenham origem ou passagem pela África do Sul, Botsuana, Essuatíni, Lesoto, Namíbia e Zimbábue nos últimos 14 dias.

Caso suspeito em BH

O governo de Minas Gerais investiga o primeiro caso da variante Ômicron no Estado. Uma mulher foi internada em Belo Horizonte com Covid-19 após voltar do Congo, país do continente africano.

Últimas