Minas Gerais "Perplexidade", diz sindicato sobre anúncio de volta às aulas em Minas

"Perplexidade", diz sindicato sobre anúncio de volta às aulas em Minas

Representante dos trabalhadores em educação disse que liminar concedida pela Justiça que proíbe trabalho presencial dos professores continua valendo

Governo de Minas anunciou data para volta às aulas

Governo de Minas anunciou data para volta às aulas

Divulgação/Imprensa MG/Pedro Gontijo

O anúncio do Governo de Minas de que as aulas poderão voltar em pouco mais de 200 municípios mineiros a partir do dia 5 de outubro promete uma nova batalha judicial. 

O Sind-UTE (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais), que representa a categoria, afirmou que uma liminar concedida pela Justiça em abril proíbe que os professores retomem o trabalho presencial nas escolas estaduais. A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Estado de Educação e aguarda posicionamento sobre o assunto. 

A coordenadora-geral do Sind-UTE, Denise Romano, disse que a categoria recebeu "com perplexidade" o anúncio sobre a volta às aulas presenciais.  

— O que o governo fez foi anunciar uma data. Não trouxe nenhuma outra estratégia, orientação... anunciou uma data que traz grande dificuldade, insegurança, angústia para os profissionais da educação e para pais de alunos. 

Segundo o secretário-geral do Governo de Minas, Mateus Simões, a volta às aulas presenciais respeitará a autonomia das famílias e dos municípios. Ou seja, a SEE não cobrará frequência dos alunos e os municípios é que devem autorizar a abertura das escolas. 

Liminar

Denise afirmou, ainda, que uma liminar concedida pela Justiça em abril proíbe que os trabalhadores em educação retornem ao trabalho presencial. 

— Temos uma decisão liminar que garante que o governo do Estado não pode convocar presencialmente trabalhadores em educação para escolas estaduais. Essa medida continua em vigor, não foi cassada nem anulada pelo Tribunal de Justiça. 

Últimas