Minas Gerais PF e ANM apuram causas de transbordamento de dique em MG

PF e ANM apuram causas de transbordamento de dique em MG

Documentação aponta extração ilegal de minério envolvendo a Vallourec; inquérito foi instaurado para apurar a denúncia

  • Minas Gerais | Ana Gomes, Do R7, com Pollyana Sales, Da Record TV Minas

Rompimento causou danos ambientais

Rompimento causou danos ambientais

Divulgação / CBMMG

Agentes da Polícia Federal e da ANM (Agência Nacional de Mineração) estiveram, na manhã desta terça-feira (18), no local onde houve o transbordamento do dique da Mina do Pau Branco, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, para apurar a denúncia de extração ilegal de minério envolvendo a Vallourec.

No dia 8 de janeiro, a estrutura transbordou, interditando a BR-040 e causando danos ambientais na região. Na mesma data, um inquérito foi instaurado para investigar se a atividade de mineração no local contribuiu para o vazamento do sistema de contenção de chuvas.

Documentos recebidos pela Comissão de Meio Ambiente da ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais) apontam que a mineradora estaria realizando atividades ilegais sem licença na área da barragem. Na última quinta-feira (13), o presidente do órgão, deputado Noraldino Júnior (PSC), técnicos da Fundação Estadual de Meio Ambiente e as Polícias Civil e Federal sobrevoaram o local para apurar a denúncia.

Por meio de nota, a Vallourec informou que "possui todas as devidas licenças para a operação das suas atividades e opera, exclusivamente, em áreas de sua propriedade". A empresa disse ainda que não recebeu uma notificação oficial sobre a denúncia.

Multa

O Governo de Minas Gerais multou a Vallourec em R$ 288 milhões pelos danos ambientais causados pelo transbordamento do dique. A medida também determinou a suspensão imediata das atividades relacionadas à Pilha Cachoeirinha e ao Dique Lisa até que a mineradora apresente documentos que comprovem a estabilidade das estruturas.

Em janeiro do ano passado, a ampliação da barragem foi autorizada durante reunião extraordinária do Copam (Conselho Estadual de Política Ambiental).

Últimas