Polícia investiga mais duas mortes por intoxicação com cerveja em MG

Com a atualização, o número de óbitos ligados ao caso passou para nove; outras 33 pessoas que estão vivas também podem ter sido contaminadas

Investigações duram mais de dois meses

Investigações duram mais de dois meses

Reprodução / Instagram

A Polícia Civil de Minas Gerais informou, nesta sexta-feira (13), que passou a investigar mais duas mortes que podem ter sido provocadas por intoxicação com cervejas da Backer. Com a medida, o número de óbitos ligados ao caso subiu para nove.

Segundo a corporação, as mortes em questão aconteceram em abril e em agosto de 2019. Além das duas ocorrências, os investigadores incluíram na lista de casos suspeitos os nomes de duas pessoas vivas que apresentaram os sintomas compatíveis com os de quem foi contaminado com o mono e o dietilenoglicol, substâncias tóxicas encontradas em bebidas da marca mineira. Agora, os possíveis doentes somam 33.

Nesta sexta-feira (13), peritos vão voltar à fábrica da Backer, na região Oeste de Belo Horizonte, para continuar as análises nos tanques usados na produção de cerveja. Laudos iniciais indicaram a presença dos produtos contaminantes nos equipamentos.

As investigações sobre a possível intoxicação causada pelas bebidas começou em janeiro deste ano. Mais de 60 pessoas foram ouvidas durante o inquérito. Segundo a Polícia Civil, o caso deve ser concluído “em breve”.

* Estagiário da Record TV Minas, sob supervisão de Pablo Nascimento