Minas Gerais Polícia liberta reféns e prende 10 suspeitos de atacar bancos em MG

Polícia liberta reféns e prende 10 suspeitos de atacar bancos em MG

De acordo com a PM, sete pessoas estavam sob a guarda dos sequestradores, sendo duas crianças; ataque deixou dois feridos e parou serviços em Uberaba

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Suspeitos estavam com reféns em caminhão

Suspeitos estavam com reféns em caminhão

Divulgação / Polícia Militar

A PM (Polícia Militar) prendeu, na manhã desta quinta-feira (27), 10 suspeitos de participarem de um ataque a agências bancárias na cidade de Uberaba, a 477 km de Belo Horizonte, no Triângulo Mineiro. Sete pessoas que eram feitas reféns foram soltas. De acordo com a PM, entre os sequestrados estavam duas crianças – uma de 12 e outra de 2 anos.

O grupo foi pego como refém enquanto ladrõe fugiam da explosão de três agências bancárias da cidade. O ataque aconteceu durante a madrugada. Cerca de 30 suspeitos foram cercados pela polícia na região central e houve tiroteio.

Moradores relataram momentos de terror. O confronto durou cerca de 1h30. Barulhos de tiros e explosões foram ouvidos em diversos pontos da cidade. O grupo também atirou contra câmeras de circuitos de segurança para não serem gravados.

Segundo Sérgio Teixeira, assessor da PM em Uberaba, a igreja catedral da cidade, a Câmara Municipal, o Batalhão dos Bombeiros e prédios do Centro foram atingidos por balas perdidas.

— Parecia que eu estava na guerra. Eu nunca vi uma logística desta na cidade.

De acordo com a PM, os assaltantes usaram moradores como escudo humano para fugir do local. Uma jovem de 21 anos e um homem de 45 foram baleados na fuga. A mulher está internada em estado grave e passa por cirurgia.

Segundo informações do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, o homem foi atingido com um disparo na perna. Ele continua internado, mas passa bem.

A PM informou que parte dos suspeitos foi encontrada em um caminhão em uma estrada de terra na zona rural de Uberaba. O grupo estava com sete reféns, entre eles, funcionários de uma fazenda que foram pegos no caminho.

Após cerca de duas horas de negociação, os suspeitos se renderam e entregaram as vítimas. Durante todo o momento, eles pediam a presença da imprensa e segurança para se entregarem. Em uma gravação feita pela polícia é possível ouvir as exigências.

"Nosso pedido é nossa integridade física para nos deixar presos, sem esculacho. O coronel [um dos suspeitos] está dando a palavra dele. Já coloca no Instagram e em todo lugar do Brasil", disse um dos criminosos. Armas e munições foram encontradas com o grupo.

Major Flávio Santiago, porta-voz da PM, informou que a corporação segue em busca dos demais suspeitos.

— A Polícia Militar continua no cerco. Nós enfrentamos esta criminalidade. A Polícia Militar está dando mais uma vez a resposta de que esta modalidade de crime não prosperará aqui em Minas Gerais.

Últimas