Polícia ouve autora de fake news dos caixões e apreende celular

Policiais da 4ª Delegacia da região Central de BH, foram a cidade de Campanha, a 321 km da capital para identificar formalmente a autora 

Suspeita prestou depoimento em Minas Gerais

Suspeita prestou depoimento em Minas Gerais

Reprodução / Redes sociais

A Polícia ouviu, nesta quarta-feira (6), a responsável por gravar um vídeo falso falando que caixões de vítimas da covid-19 estariam sendo enterrados com pedras em Belo Horizonte. O celular de Valdete Zanco também foi apreendido.

De acordo com a corporação,  a equipe da Quarta Delegacia da região Central de Belo Horizonte, se dirigiu atá a cidade de Campanha, a 321 km da capital mineira para identificar formalmente a suspeita, que já havia se apresentado na última segunda-feira (4).

Segundo os investigadores, Valdete Zanco pediu desculpas pela situação e disse que havia compartilhado a gravação apenas com um grupo de família no Whatsapp. A mulher gravou um vídeo se retratando.

Caso

Ao tomar conhecimento sobre o vídeo que viralizou na última semana, a Prefeitura de Belo Horizonte rebateu as acusações dizendo que nenhuma urna foi desenterrada na cidade. Um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil para apurar o caso.

Durante coletiva de impresa nesta terça-feira (5), a polícia informou que Valdete poderá responder por três crimes e ser condenada a até nove anos de prisão.

Veja mais

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento