Polícia prende suspeito de extorquir mulheres com vídeos íntimos em BH

Geólogo de 26 anos foi preso em flagrante quando uma vítima ia entregar o dinheiro solicitado; ele atraia mulheres através de sites de relacionamento

Suspeito exigia dinheiro para não expor os vídeos

Suspeito exigia dinheiro para não expor os vídeos

Pixabay

A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu, na segunda-feira (18), um homem de 26 anos suspeitos de extorquir mulheres com vídeos íntimos em Belo Horizonte. Ele foi preso em flagrante no bairro Belvedere, na região Centro-Sul da capital, em frente a um shopping, quando uma vítima ia entregar o valor solicitado para não ter o material publicado.

De acordo com a polícia, o suspeito é formado em geologia, tem situação financeira estável e um bom emprego. Assim, se apresentava em sites de relacionamento como um "sugar daddy": homem maduro, rico e bem-sucedido, que busca se relacionar com mulheres jovens e, em troca, patrocina um estilo de vida luxuoso.

Leia mais: PM investiga truculência de policiais em abordagem por som alto

Nos encontros, porém, o geólogo gravava as vítimas durante as relações sexuais e, depois, ameaçava expor os vídeos, obtidos sem o consentimento delas, em troca de dinheiro. O delegado Vinícius Dias, que coordenou as investigações, explica que o intuito era obter vantagem sobre as vítimas.

— O investigado, através de sites de relacionamento, angariava as vítimas e solicitava que elas viajassem para outro estado para manter relações sexuais em troca de vantagem econômica. As relações eram gravadas. Após isso, ele simulava agendamentos de pagamentos na conta corrente das vítimas e, quando elas voltavam ao seu estado de origem, percebiam que o pagamento não havia acontecido.

De acordo com o delegado, era a partir deste momento que o suspeito passava a extorquir as vítimas.

— De posse dos vídeos, o suspeito passava a exigir valores entre R$ 5 mil a R$ 10 mil, e até mesmo novos vídeos íntimos da mesma, para não divulgar as imagens em redes sociais e para familiares das mulheres.

A Polícia Civil afirmou, ainda, que vai seguir investigando, pois tem informações que comprovam que o suspeito tenha feito outras vítimas em BH. 

*Estagiária do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli