Minas Gerais Prefeitura de BH quer manter o Aeroporto Carlos Prates aberto

Prefeitura de BH quer manter o Aeroporto Carlos Prates aberto

Vice-prefeito fala sobre parceiro comercial que pretende melhorar a infraestrutura e levar serviços dedicados à população para o local

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Aeroporto fica na região Noroeste de BH

Aeroporto fica na região Noroeste de BH

Divulgação/PBH

A Prefeitura de Belo Horizonte quer manter aberto o aeroporto Carlos Prates, na região Noroeste da cidade, previsto para encerrar as atividades no próximo dia 31 de dezembro.

A informação foi confirmada pelo vice-prefeito Fuad Noman, nesta quinta-feira (16), durante audiência pública sobre o tema na Câmara dos Deputados.

Fuad explica que a prefeitura recebeu a proposta de uma "grande entidade" que pretende operar na área. O político disse que não pode revelar o nome do possível parceiro, mas detalha que trata-se de um companhia "muito ligada à avaliação que precisa de muitos profissionais da área".

A ideia, segundo o vice-prefeito, é que as escolas de aviação que funcionam no terminal continuem atuando no espaço, mas outras atividades sejam implementadas.

"É um projeto em que o aeroporto passa a ser rentável, passa a ter serviços públicos, como Corpo de Bombeiros e uma série de outros benefícios, além de permanecer aquelas atividades que estão lá", destaca o Fuad.

Para viabilizar a proposta, a prefeitura solicitou à Secretaria de Desestatização um prazo maior para o encerramento das atividades do aeroporto, para que o município tenha tempo hábil de apresentar o projeto completo.

Diogo de Faria, secretário especial de desestatização do Ministério da Economia, diz que o órgão vai tentar a prorrogação, mas não garantiu e não informou quando será apresentado o retorno.
O representante do Governo Federal explica que os trâmites para o fim das operações já estão adiantados. Como exemplo, ele cita a portaria publicada pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), nesta quinta-feira, cancelando a homologação do aeroporto a partir do dia 1º de janeiro de 2022.

"Agora dependemos de compatibilizar interesses com o Ministério da Economia, por já ter dado o andamento para desestatização da área", explica.

Segundo o secretário, o projeto do Governo Federal prevê a venda do terreno para a iniciativa privada, liberando a área para a construção de um possível bairro. O vice-prefeito Fuad Noman avaliou a proposta como inviável.

"Não dá para fazer um empreendimento imobiliário grande lá; Fazer parques e jardins é possível, mas não gera um retorno para um fundo de investimento para aportar lá R$ 300 milhões. Só podíamos fazer isto se tivéssemos os recursos de fazer os serviços públicos e a mobilidade que a região necessita. Se não temos, estamos pensando em como fazer o melhor uso do aeroporto".

Fechamento

Diogo de Faria detalha que a decisão sobre fechar o aeroporto foi tomada há dois anos, após a Infraero, atual administradora, oferecer o terminal para o Governo de Minas e a Prefeitura de Belo Horizonte, que não tiveram interesse de continuar com as operações na época.

A solução encontrada pelo Governo Federal foi desativar o espaço e enviar os voos para outros aerportos como o da Pampulha, de Pará de Minas e de Divinópolis.

O aeroporto

O Aeroporto de Carlos Prates abriga um aeroclube dedicado à formação de pilotos, aviação desportiva, manutenção e construção de aeronaves. Ele fica em uma área de 547 mil metros², no bairro de mesmo nome, em uma região prioritarimente residencial.

Nesta terça-feira (14), empresários e estudantes protestaram pela permanência do terminal no bairro. Por outro lado, moradores da região questionam alegando falta de segurança. Em 2019, duas aeronaves de pequeno porte caíram em um bairro vizinho, em um período de seis meses, causando a morte de quatro pessoas.

Segundo dados da Infraero, nos últimos 10 anos foram registrados sete acidentes relacionados ao aeroporto e 11 incidentes graves.

Veja fotos dos acidentes com aviões do aeroporto em 2019:

Últimas