Minas Gerais Prefeitura em MG diz que perdeu R$ 2,9 milhões em ataque hacker

Prefeitura em MG diz que perdeu R$ 2,9 milhões em ataque hacker

Segundo o município de Jaboticatubas, valor teria sido transferido para diversas contas bancárias espalhadas pelo Brasil

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Banco nega ataque no sistema da instituição

Banco nega ataque no sistema da instituição

Reprodução / Google Street View

A Prefeitura de Jaboticatubas, na região metropolitana de Belo Horizonte, denuncia ter perdido R$ 2,9 milhões em um ataque hacker, nesta quinta-feira (24).

Segundo o Executivo municipal, o valor estava depositado no banco do Brasil e teria sido transferido para diferentes contas pelo país. A instituição bancária, no entanto, informou à reportagem que não registrou invasão em seu sistema.

O secretário municipal de Fazenda, Dimar Batista, conta que foi alertado por funcionários da própria agência bancária. Os criminosos gastaram aproximadamente uma hora para movimentar 10 contas.

— O banco nos informou que estavam ocorrendo várias transferências nas contas da prefeitura e nos perguntou se estávamos fazendo algum tipo de transferência. Eu disse que não. Entrei no sistema e observei que a informação procedia.

De acordo com a prefeitura, a Polícia Civil foi acionada para investigar o caso e o Banco do Brasil para viabilizar o estorno do dinheiro que era do caixa do Fundo de Participação dos Municípios, recursos próprios da cidade e da Educação.

— O dinheiro seria usado para a folha de pagamento, pagamneto de fornecedores, do 13º salário, calçamento de ruas...

Ainda segundo o banco, a instituição tem um sistema de segurança capaz de detectar este tipo de situação e, quando ocorre, as autoridades são avisadas.

"A partir do pedido de contestação, a área técnica do Banco do Brasil analisará as movimentações financeiras por meio de processo interno, que vai definir responsabilidades das partes na ocorrência", completou o banco.

A Polícia Civil informou que instaurou um inquérito para investigar suposto estelionato, mas ainda será analisada qual instituição será responsável pela apuração, já que se trata de verbas federais.

Últimas