Minas Gerais Promotor de Justiça é preso por suspeita de assassinato da mulher

Promotor de Justiça é preso por suspeita de assassinato da mulher

Laudo da necropsia apontou que morte de Lorenza Maria Silva de Pinho, de 41 anos, nesta sexta-feira (2), teve indícios de violência

  • Minas Gerais | Ezequiel Fagundes, da Record TV Minas

Divulgação / Ministério Público de Minas Gerais

 O promotor de Justiça André Luis Garcia de Pinho foi preso na manhã, deste domingo (4), como principal suspeito de matar a mulher dele, no apartamento do casal, no bairro Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte, na última sexta-feira (2).

Fontes da investigação informaram à reportagem que o laudo da necropsia apontou que morte de Lorenza Maria Silva de Pinho, de 41 anos, nesta sexta-feira (2), foi causada por violência física, descartando a possibilidade de causas naturais alegada pelo próprio marido. 

A polícia cercou pela manhã as ruas do entorno do prédio, onde o suspeito e a vítima moravam com os cinco filhos, para evitar a aproximação de curiosos. Foram realizadas buscas de provas em vários endereços ligados ao promotor. 

O caso

Lorena de Pinho morreu, na última sexta-feira (2), e o motivo alegado pelo marido seria um engasgo. O corpo da mulher foi levado por André Luís diretamente para uma funerária, mas, a pedido da polícia, acabou sendo encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal).

Familiares da vítima acreditam que Lorena tenha sido assassinada, já que o casamento estaria passando por problemas. Segundo eles, o suspeito agredia a mulher, com quem tinha cinco filhos. 

Afastado

O promotor de Justiça André Luis Garcia de Pinho foi afastado pelo MP, em 2018, por lesão aos cofres públicos. Segundo o órgão, o servidor teria recebido seu salário normalmente, mesmo se ausentando do trabalho sem justificativa.

A investigação aponta que ele teria recebido mais de R$ 228 mil de salários sem ter prestado serviço. Em um período de três anos, ele deixou de comparecer ao trabalho por 195 dias.

O Ministério Público de Minas Gerais, por meio de nota, informou que:

O Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), por meio do Gabinete de Segurança e Inteligência (GSI) e do Centro de Apoio das Promotorias Criminais (Caocrim), e em conjunto com as Polícias Civil e Militar, realizaram diligências na manhã deste domingo, 4 de abril, dando seguimento às apurações relacionadas aos fatos ocorridos na sexta-feira, 2 de abril, envolvendo a morte da senhora Lorenza Maria Silva de Pinho, esposa do promotor de Justiça André Luis Garcia de Pinho.

Foram cumpridas decisões proferidas pelo Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG). Em função da decretação de segredo de Justiça, no momento não serão fornecidos mais detalhes.

O MPMG lamenta a morte da senhora Lorenza Maria Silva de Pinho e se solidariza com os seus familiares e amigos.

Últimas