Minas Gerais Queda de criança de 9 anos de prédio pode ter sido acidente

Queda de criança de 9 anos de prédio pode ter sido acidente

Menino morreu após cair do quarto andar de um condomínio, em Belo Horizonte; delegado afirmou que a vítima usou tesoura para cortar rede

  • Minas Gerais | Célio Ribeiro*, do R7, com Kiuane Rodrigues, da Record TV Minas

Queda de menino de 9 anos pode ter sido acidente

Queda de menino de 9 anos pode ter sido acidente

Record TV Minas

A investigação preliminar da PCMG (Polícia Civil de Minas Gerais) indicou que a queda do menino de 9 anos do 4º andar de um prédio em Belo Horizonte pode ter sido por acidente.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (19), o delegado Vinícius Dias afirmou que o garoto teria usado uma tesoura escolar para cortar a rede de proteção. Ao colocar a cabeça para fora da janela, a criança teria se desequilibrado e caído. Essa hipótese é corroborada pelo ângulo da queda e pelas lesões encontradas no corpo.

De acordo com os investigadores, foram encontradas gotas de sangue na cozinha, mas que provavelmente são da própria empregada, que estava manuseando objetos cortantes antes do acontecimento. Tanto as gotas de sangue quanto as digitais encontradas na tesoura serão examinadas pela perícia.

No momento da queda, o único adulto presente na casa era a empregada doméstica. O delegado Vinícius Dias disse que, inicialmente, não é possível afirmar que ela teria alguma responsabilidade na morte.

— Uma criança de 9 anos consegue sair de casa sem outra pessoa perceber. Os relatos iniciais apontam que ela era cuidadosa e deixou a criança ficar sozinha pois ele não queria conversar com ninguém.

Os delegados afirmaram que pretendem concluir o inquérito rapidamente, com a previsão de que as investigações terminem dentro de um mês.

Queda do 4º andar

Na manhã desta quarta-feira (19), um menino de 9 anos morreu após cair do 4º andar de um prédio no bairro Santa Lúcia, região Centro-Sul de Belo Horizonte. A criança teria pulado após ser proibido pela mãe de usar o computador.

A perícia esteve no local para colher informações e a PCMG (Polícia Civil de Minas Gerais) abriu um inquérito para investigar o caso.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Flavia Martins y Miguel.

Últimas