Minas Gerais Samarco vai à Justiça para evitar pagamento de multas do Ibama

Samarco vai à Justiça para evitar pagamento de multas do Ibama

Mineradora responsável pelo rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana, diz que vem fazendo pagamentos à Secretaria de Meio Ambiente

Rompimento de barragem da Samarco, em Mariana, matou 19 pessoas em 2015

Rompimento de barragem da Samarco, em Mariana, matou 19 pessoas em 2015

BBC NEWS BRASIL

A mineradora Samarco, responsável pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), há três anos, recorreu à Justiça para evitar o pagamento de multas aplicadas pelo Ibama (Instituto Brasileiro de Meio ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) por causa dos danos causados na tragédia.

Os valores, corrigidos, chegam a mais de R$ 200 milhões. 

Em nota enviada ao R7, a Samarco reconheceu que está discutindo, na Justiça, três autos de infração aplicados pelo Ibama por entender que há duplicidade nas sanções. 

Segundo a mineradora, desde 2017 a empresa vem efetuando pagamentos à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) referentes a "uma autuação realizada na mesma época e pelos mesmos motivos e fundamentos". Segundo a mineradora, até janeiro deste ano já foram destinados mais de R$ 5,3 bilhões em ações de reparação e compensação. 

O portal R7 entrou em contato com o Ibama e aguarda posicionamento do órgão sobre o assunto.