Minas Gerais Trabalhadores da Educação rejeitam valor de reajuste salarial proposto pela Prefeitura de BH

Trabalhadores da Educação rejeitam valor de reajuste salarial proposto pela Prefeitura de BH

Categoria aguarda nova rodada de negociações com o Governo; próxima assembleia terá indicativo de greve

Segundo servidores da Educação
 próxima assembleia terá indicativo de greve

Segundo servidores da Educação próxima assembleia terá indicativo de greve

Foto/Diego Franco David

Os trabalhadores da Rede Municipal de Educação, entre eles professores e funcionários concursados, rejeitaram por unanimidade o valor de reajuste salarial sugerido pelo prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman. A proposta era um aumento de 5,93% no salário dos servidores, a ser pago em duas parcelas. A decisão foi tomada após assembleia realizada nessa quarta-feira (8).

Durante a mobilização, que aconteceu na Praça da Estação, na capital mineira, foi aprovado um calendário de luta, sobre os próximos passos pretendidos pelos trabalhadores. A categoria aguarda, também, uma nova rodada de negociação com o Governo. Além disso, segundo os servidores, a próxima assembleia terá indicativo de greve. A data ainda não foi definida.

Após a paralisação, as atividades da Rede Municipal, tanto das Escolas Municipais quanto dos Emeis (Escolas Municipais de Educação Integral), voltaram ao normal. 

Reivindicação

A paralisação total das atividades nas Escolas Municipais e Emeis (Escolas Municipais de Educação Integral) de Belo Horizonte, foi marcada para a quarta-feira (8), com o intuito dos profissionais da Educação analisarem a proposta da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) para a campanha salarial de 2023. A principal reivindicação da categoria é o reajuste do salário dos trabalhadores concursados e terceirizados.

O prefeito Fuad Noman (PSD) propôs um reajuste de 5,93%, dividido em duas parcelas, para todo o funcionalismo público. No entanto, os profissionais questionam o fato do piso nacional do magistério ter sofrido um reajuste de 14,95%.

Com a alteração, o novo Piso Nacional do Magistério subiu para R$ 4.420,55, enquanto o salário do professor da Rede Municipal, no primeiro nível da carreira, é de R$ 2.507,53. Os representantes da categoria questionam os valores para o primeiro nível da carreira da Rede Municipal.

*Estagiário sob supervisão de Gabrielle Assis

Últimas