Um dia depois de ser preso, fundador da Ricardo Eletro é solto

Ricardo Nunes prestou depoimento durante três horas nesta quinta (9) e, segundo o advogado Marcelo Leonardo, houve acordo para que ele fosse liberado

Ricardo Nunes foi preso nesta quarta-feira (8) em SP e transferido para BH

Ricardo Nunes foi preso nesta quarta-feira (8) em SP e transferido para BH

Futura Press/Folhapress

Um dia depois de ser preso em operação contra sonegação fiscal, o fundador e ex-diretor da Ricardo Eletro, Ricardo Nunes, foi solto nesta quinta-feira (9). Ele deixou a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, agora há pouco. 

Na saída do presídio, Nunes afirmou que estava "um pouquinho abalado" e que não cometeu crime. 

— Foi tudo esclarecido, graças a Deus. Não soneguei nada, não devo nada. Tá tudo certo, tudo esclarecido, a companhia é auditada. Haja visto, me soltaram imediatamente. 

Mais cedo, o advogado de Nunes, Marcelo Leonardo, havia adiantado que o empresário seria solto ainda hoje, por estar "colaborando com as investigações" do Ministério Público. 

De acordo com a decisão assinada pelo juiz José Venâncio de Miranda Neto, o investigado prestou depoimento e, neste momento não há "motivos para a manutenção da ordem de prisão, haja vista o êxito no cumprimento das buscas". A decisão judicial determina, ainda, que Ricardo Nunes mantenha o endereço atualizado. 

A operação "Direto com o Dono" - um dos bordões usados por Ricardo Nunes nas propagandas de TV das lojas Ricardo Eletro - foi deflagrada no início da manhã desta quarta-feira (8) e terminou com a prisão dele, de sua filha Laura Nunes (liberada no mesmo dia) e do diretor do grupo Pedro Magalhães.

As investigações apontam para um esquema de sonegação de R$ 380 milhões em impostos devidos ao Estado de Minas Gerais ao longo de cinco anos.