Minas Gerais Vale pagará R$ 100 mil a avós que perderam o neto em Brumadinho

Vale pagará R$ 100 mil a avós que perderam o neto em Brumadinho

Segundo o processo, a família alegou que dependia do homem para diversas atividades no dia a dia, inclusive acompanhamento para consultas médicas 

  • Minas Gerais | Caio Silva*, do R7

Tragédia deixou 259 pessoas mortas e 11 desaparecidas

Tragédia deixou 259 pessoas mortas e 11 desaparecidas

Reuters/Agência Brasil

A Justiça condenou a mineradora Vale a pagar R$ 100 mil de indenização por danos morais aos avós de um trabalhador morto na tragédia da barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, no dia 25 de janeiro de 2019. 

Segundo o processo, a avó da vítima contou que o trabalhador, que na época tinha de 34 anos, era seu único neto e que precisava do apoio dele para diversas atividades no dia a dia, incluindo acompanhamento em consultas médicas. 

Ainda segundo a avó, o homem prestava serviço de auxiliar de serviços gerais para uma empresa terceirizada da Vale nas proximidades da barragem B1 quando foi atingido pelos rejeitos de minérios. 

Um relatório psicológico apresentado pela família à Justiça provou que o homem tinha bastante proximidade e cuidado com seus avós. Segundo o documento, "a família estava conseguindo evoluir bem à aceitação do luto e do ocorrido, mesmo que lentamente".

Defesa

Em sua defesa, a Vale alegou que tomou medidas para amparar os avós do trabalhador. A empresa disse que fez uma doação no valor de R$ 100 mil além do pagamento de assistência funeral. 

Ainda no processo, a empresa terceirizada pela Vale confirmou que o trabalhador era seu empregado, mas alegou que não poderia ser responsabilizada pela morte do funcionário pois, segundo ela, o rompimento da barragem aconteceu por acaso e que teria que ser "excluída da responsabilidade civil". 

Decisão

Na decisão, o desembargador relator do processo, Rodrigo Ribeiro Bueno, do juízo da 3ª Vara do Trabalho de Betim, na Grande BH, alegou que o fato causou sofrimento, dor, mágoa, tristeza e a angústia aos avós com a morte do único neto. 

O desembargador ainda culpou a mineradora Vale pelas falhas técnicas e a ausência de fiscalização das condições de segurança na estrutura da barragem. Com isso, foi firmado o pagamento de R$ 50 mil, divididos entre a Vale e a empresa terceirizada aos avós do trabalhador morto na tragédia. 

Outro lado

A reportagem do R7 entrou em contato com a mineradora Vale, que informou que "é sensível à situação da família e respeita a privacidade dos envolvidos".

Tragédia Brumadinho

O rompimento da barragem B1 da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de BH, aconteceu no dia 25 de janeiro de 2019. A tragédia deixou 259 pessoas mortas e 11 ainda seguem desaparecidas.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Pablo Nascimento 

Últimas