Minas Gerais Vale terá que indenizar faxineira que perdeu amigos em Brumadinho

Vale terá que indenizar faxineira que perdeu amigos em Brumadinho

Trabalhadora limpava os alojamentos de funcionários terceirizados da empresa que morreram na tragédia; indenizada também perdeu o sobrinho

  • Minas Gerais | Caio Silva*, do R7

Vítima era faxineira terceirizada pela mineradora Vale

Vítima era faxineira terceirizada pela mineradora Vale

Reuters/Agência Brasil

A Justiça determinou que a mineradora Vale deverá indenizar em R$ 50 mil uma faxineira que trabalhava nos alojamentos de funcionários terceirizados da empresa que morreram tragédia da barregem de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Na ação, a mulher alegou que sofreu desequilíbrio mental devido à perda dos amigos e do sobrinho, que também era empregado da mineradora.

Um relatório psiquiátrico apresentado indicou que a trabalhadora terceirizada teve ofensa à sua integridade psíquica, por "ter que conviver no ambiente dos colegas que ali residiam e hoje estão mortos".

A faxineira afirmou que prestava serviços de limpeza e lavagem de roupas para uma empresa, também terceirzada, em cinco repúblicas montadas pela Vale, em Brumadinho, para abrigar os funcionários que trabalhavam com construção civíl pela mineradora.

A desembargadora relatora do caso, Maria Cecília Alves Pinto, alegou que a faxineira não comprovou a participação dela na vida do sobrinho e na vida de vizinhos mortos, mas reconheceu que trabalhadora provou o dano moral sofrido diante do luto diário vivenciado no local de trabalho com a morte dos amigos.

Em nota enviada à reportagem do R7, a Vale disse que "respeita a decisão da Justiça e é sensível à situação dos impactados pelo rompimento da barragem".

Tragédia Brumadinho

A barragem da Mina Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, se rompeu rompeu no dia 25 de janeiro de 2019, deixando 270 mortos e desaparecidos.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas