Minas Gerais Vizinhos de prédio que desabou em Betim (MG) devem ser realocadas 

Vizinhos de prédio que desabou em Betim (MG) devem ser realocadas 

Prefeitura de Betim (MG) exigiu que a construtora responsável pela obra abrigue as 15 famílias em um outro lugar; prédio será demolido 

Estrutura terá que ser totalmente demolida

Estrutura terá que ser totalmente demolida

Reprodução/RecordTVMinas

A Prefeitura de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, exigiu que a construtora responsável pelo prédio que tombou na madrugada desta quarta-feira (18), realoque as 15 famílias que vivem no entorno do empreendiemento.

Eles tiveram que deixar suas casas às pressas durante a madrugada, para se abrigar em casas de amigos e parentes. Na noite desta quarta-feira voltou a chover na região metropolitana, o que colocou os vizinhos em estado de alerta, já que o prédio poderia desabar a qualquer momento.

Wellington Dias, morador da rua, conta que mesmo sem precisar sair de sua casa, está apreensivo com o que pode acontecer. 

— A gente não sabe o dano que pode causar com a queda total do prédio. Não sabemos se pode vir a afetar outros imóveis sem prejudicar mais pessoas. 

Entre as 15 famílias de imóveis vizinhos retiradas de casa está a de Eduardo Fernandes.

— Eu tive a impressão de que era um carro grande, que tivesse acontecido um acidente. Tem um vizinho que vem com um ônibus aqui. Por se tratar de uma descida, eu achei que o ônibus tinha passado por aqui e batido em algum carro. 

Leia maisMoradores de prédios de Betim (MG) temem desabamento

O casal William Ferreira e Stefanie Domingues vive o mesmo drama. Os dois também são vizinhos do prédio e tiveram que ir para a casa de parentes. A preocupação deles é de como será a vida enquanto o prédio não cai ou é demolido.

— A Defesa Civil informou que a gente não pode entrar dentro de casa para dormir. A gente paga aluguel. Não temos como ficar sem a casa, é o nosso descanço e não temos como ficar na casa de outra pessoa. 

Guarda Civil Municipal e Defesa Civil passaram toda a noite no local, que continua isolado, devido ao risco de desmoronamento.

Realocamento

Representantes da Procuradoria-Geral do município reuniram com o advogado da construtora responsável pela obra. A prefeitura exigiu que a empresa raloque imediatamente as famílias que vivem no entorno do prédio, sob pena de acionar judicialmente a empresa.

Já o engenheiro responsável pela obra informou que está aguardando a apuração das causas que levaram ao tombamento da estrutura do imóvel. Assim que tiver aceso aos dados da apuração irá se posicionar sobre o assunto. 

Demolição

Segundo o Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, uma análise da estrutura mostrou que não é possível recuperá-la. Segundo Walfranio de Assis Lopes, superintendente do órgão, o prédio vai precisar ser demolido, mas ainda não foi definido como e quando a operação será realizada.

— Nós tentamos contato com o proprietário, mas não obtivemos retorno. Quando conseguirmos será determinado essa demolição e uma equipe de engenheiros da Defesa Civil irá acompanhar todos os trabalhos. 

A maquiadora Thaís Casemiro comprou um apartamento no prédio. Ela levou um susto quando soube o que aconteceu.

— Desespero, frustração. A gente não espera isso.

Últimas