[Avaliação] Corolla XEI evolui para continuar na liderança

Avaliamos a versão mais vendida do sedã médio da Toyota que se mostra superior aos rivais em pequenos detalhes mas principalmente pela moderna mecânica 2.0 

Marcos Camargo Jr

O novo Corolla produzido sob a nova plataforma TNGA mostra um salto evolutivo em relação ao modelo antigo. Além do design alinhado com o modelo vendido em outros mercados (o nosso é derivado da versão norteamericana) ele recebeu novo motor, acerto de suspensão e itens esperados como controle de tração e estabilidade além de uma nova multimídia. Desta vez o R7-Autos Carros testou o Corolla XEI, a versão mais completa do sedã vendida por R$ 116 mil.

Motor 2.0 é potente e econômico

Marcos Camargo Jr

Vamos começar pelo ponto alto do carro que é sua mecânica. O novo motor 2.0 Dynamic Force rende 169/177cv com 21,4kgfm, números bem mais adequados do que o antigo motor de 143cv. Entre as mudanças estão um propulsor de duplo comando de válvulas variáveis com injeção direta e indireta, bomba d´água elétrica entre outras melhorias. O motor trabalha em ciclo Atkinson onde as válvulas de admissão trabalham "abertas" por mais tempo o que diminui a pressão na câmara de combustão o que torna o carro mais econômico. E isso pudemos provar durante o teste onde o Corolla fez médias de 10,5km/litro usando etanol na cidade e sob o trânsito intenso.

Marcos Camargo Jr

O sedã também está mais confortável graças a adoção de suspensão independente na traseira com braços sobrepostos e mais ágil por conta do novo câmbio CVT de engates mais precisos sem o tradicional "delay" dessas transmissões. Falando em delay a direção é às vezes um pouco lenta mas bem confortável de conduzir e o volante tem ajuste de altura e profundidade.

Pontos negativos

Com bom entre-eixos de 2.70m, Corolla mantém conforto e ergonomia a bordo

Com bom entre-eixos de 2.70m, Corolla mantém conforto e ergonomia a bordo

Marcos Camargo Jr

Mas nem tudo são flores. Mesmo na versão XEI, mais equipada que a GLI, e mesmo tendo a bordo bancos em couro e ar condicionado digital falta ao Corolla uma dignidade esperada. Para manobrá-lo não há sensor de ré por exemplo mas só a câmera traseira que também não é muito boa em termos de resolução. Falando na tela, é justo dizer que a nova multimídia finalmente traz Android Auto e Apple CarPlay além do bluetooth e rádio AM/FM mas novamente a resolução poderia ser melhor e a interface mais moderna. 

Visão geral do painel que é novo: cluster mescla elementos analógicos com tela digital à direita

Visão geral do painel que é novo: cluster mescla elementos analógicos com tela digital à direita

Toyota Divulgação

Ainda falando em detalhes, o conjunto de luzes mescla lâmpadas halónegas e de posição e farol auxiliar em LED. O mesmo vale para a lanterna que mescla as duas soluções mas poderia ter tudo com sistema LED que é mais eficiente e seguro.

Toyota Divulgação

Nisso o Corolla não decepciona e além dos controles de condução esperados traz freio a disco nas quatro rodas e sistema ABS antitravamento na dianteira, airbags frontais além dos laterais e de cortina, isofix e top tether, assistente de partida em rampa, alarme perimétrico entre outros itens.

Família a bordo

As características são praticamente as mesmas. Bom espaço interno com porta-malas de 470 litros, espaço traseiro com bom assento levemente inclinado para trás e com apoio nas extremidades o que aumenta o nível de conforto. Fica devendo só a saída de ar condicionado na traseira ou ainda um ponto de carregamento USB coisa que alguns concorrentes já tem.

Marcos Camargo Jr

Os bancos como um todo são bem confortáveis de espuma densa e revestimento lateral fornecendo apoio adequado. A bordo dele só dá para notar um pouco de ruído em regimes mais altos de rotação algo que poderia ser um pouco melhor. Nesta versão as rodas e pneus são aro 17 o que forma um conjunto visual bonito e esportivo.

Conclusão

Toyota Divulgação

Com 2.900 unidades emplacadas em agosto o Corolla se mostra bem evoluído e com motor novo ainda mais eficiente. São cinco anos de garantia e revisões até os 60.000km que vão custar cerca de R$ 3.900, o menor valor do segmento. Diante do Honda Civic, seu grande rival, o Toyota fica devendo equipamentos como sensores dianteiros e traseiros entre outros itens mas mecanicamente é possível dizer que supera de longe o rival. O Chevrolet Cruze também traz sistema de entretenimento mais evoluído e também é mais equipado mas com as mudanças da nova plataforma o Corolla recebe com justiça o título de mais vendido.