[Avaliação] R7 acelerou o e-Tron, novo SUV 100% elétrico da Audi

Crossover fabricado na Bélgica tem autonomia superior a 400km e chega a partir de R$ 459,9 mil

Marcos Camargo

A Audi inicia oficialmente hoje (23) as vendas de seu novo veículo 100% elétrico o e-Tron que chega ao país por R$ 459,9 mil. Além dos quatro anos de garantia do crossover a Audi ainda oferece oito anos para todas as baterias. Para os interessados no e-Tron durante a fase de lançamento a montadora alemã ainda oferece quatro anos de manutenção inclusa no preço e valorização de R$ 15 mil em veículos usados oferecidos na troca pela novidade.

Divulgação

O visual do E-tron é um dos principais pontos positivos do carro mantendo-se fiel ao design atual da Audi. A dianteira é equipada seguindo o novo padrão visual com grade Singleframe e desenho octagonal. As linhas laterais têm formas agressivas com vincos fortes o que confere ar de esportividade para o E-tron, ainda é possível notar as siglas “E-tron” na cor laranja que está posicionada na tampa de abertura do carregamento. A coluna C, tem um desenho “acupezado”, o que mostra a elegância europeia no veículo.

Divulgação

Os faróis frontais apresentam na parte interna quatro linhas horizontais que criam a assinatura do novo Audi E-tron. Na parte traseira, a assinatura ótica mantém o design do Q8. Outro detalhe na parte traseira é a ausência dos tubos de escape além do estilo cupê atual e igualmente esportivo na proposta.

Marcos Camargo

Ainda falando sobre a parte externa, um detalhe que chama atenção é a ausência dos retrovisores. O item foi substituído por câmeras de alta resolução projetadas em
telas OLED, uma novidade mundial em modelos de produção de série. Com isso a Audi alcança um coeficiente de arrasto de 0,27, o que auxilia na melhora do desempenho e autonomia das baterias. As câmeras processam a imagem digitalmente e espelham em monitores internos de 7” que ficam posicionados nas portas do motorista e passageiros. Para posicionar a melhor forma de posição da câmera basta ajustar a imagem com o dedo no monitor do motorista.

Divulgação

Na parte interna, o SUV elétrico conta com bancos em couro de Alcântara e tem ajuste elétrico, para o motorista ainda é possível regular a altura e a lombar. Outro detalhe está no desenho dos bancos que remonta a um circuito elétrico. No console central foram instalados dois grandes displays MMI Touch, de 10,1 e 8,6 polegadas. Por eles é possível controlar todos os comandos do carro e ainda monitorar níveis de consumo bateria. O E-tron ainda é equipado com Android Auto e Apple Carplay, que podem ser ativados por Bluetooth ou cabo.

O E-tron é equipado com dois motores elétricos que somados dispõem de 408cv de potência e 664Nm de torque. As forças são distribuídas em 135kW de potência e 309 Nm de torque na frente e 165 kW de potência e 355 Nm no motor traseiro. Segundo a Audi, o E-tron faz de 0 a 100km/h em apenas de 5,7 segundos com autonomia de 436 quilômetros.

O sistema de baterias de íons de lítio pesa cerca de 700kg e dispõe de 36 módulos de alumínio, que deixam a gravidade do carro semelhante à de um sedan em termos de direção. Para a recarga, basta plugar o veículo em uma tomada convencional a partir de 110V. O tempo de recarga varia de acordo com a potência elétrica disponível. Em estações de recarga ultra rápida de 150 kW, por exemplo, é possível carregar até 80% da bateria em 30 minutos.

O novo SUV elétrico da Audi ainda traz a nova geração do sistema de tração Quattro, a tração elétrica nas quatro rodas. Agora a tração regula a distribuição de torque para todas as quatro rodas em uma fração de segundos. O E-tron ainda dispõe de sete modos de condução: Auto, Comfort, Efficienty, Offroad, Dynamic, Allroad e Individual.

Como anda

O R7-Autos Carros avaliou o SUV elétrico durante um dia em trechos urbanos e rodoviários. Com isolamento acústico impressionante não se ouve nem a rodagem dos pneus mas um pequeno zunido vindo do motor elétrico que cresce à medida em que a velocidade aumenta. O torque de 664Nm se faz presente em baixas rotações, o que torna a sensação de esportividade ainda mais clara no E-tron.

No modo “Comfort” o carro apresenta um comportamento mais dócil, o que o torna mais aconselhado para a cidade ou viagens mais tranquilas. No modo “Efficiency” o carro poupa energia atingindo sua máxima autonomia em uma direção “sem emoção”. No modo esportivo além do torque imediato a suspensão fica mais baixa e a aerodinâmica mais eficiente bem com a direção ainda mais direta.

Retiramos o SUV na sede da montadora na zona sul de São Paulo com a carga 100% completa e mesmo com o ar-condicionado desligado a autonomia mostrada foi de 396 quilômetros, próxima ao prometido. Não foi necessário carregarmos o SUV, mas assim como outros modelos de tomada, essa ainda não é uma missão simples nas metrópoles, ainda mais em tempos de pandemia, onde todos os locais estão fechados.

A princípio o motorista irá estranhar os novos retrovisores. Com instinto de quem já dirige há algum tempo, os olhos certamente irão buscar os espelhos externos, mas em pouco tempo é possível se acostumar com as câmeras internas e no modo de controlar os novos espelhos.

O carro tem comprimento de 4,90m e entre-eixos de 2,93m com 2m de largura, portanto um modelo de grande porte que exige certa atenção e vagas generosas para estacionar. Ponto positivo é o conforto para todos os cinco ocupantes com bom espaço para pernas graças a ausência de túnel central. Chegamos a rodar com cinco passageiros de 1,80m com conforto. O porta-malas de 600 litros também é generoso.

Em relação a mercado o Audi e-Tron terá como concorrente direto o Jaguar I-Pace quem tem configurações similares e preços menores a partir de R$ 437 mil. Além dele está o Mercedes Benz EQC de lançamento próximo em junho e preços similares. Com isso a montadora alemã inicia seu novo projeto que visa ser neutra em emissões de carbono até 2050 com modelos mais eficientes visando a eletrificação.

*Com a colaboração de Guilherme Magna