Blog do Nolasco Avião da FAB retornará ao país com 42 brasileiros e 26 estrangeiros que deixaram a Ucrânia

Avião da FAB retornará ao país com 42 brasileiros e 26 estrangeiros que deixaram a Ucrânia

Aeronave KC-390 Millenniums partirá da Polônia e resgatará também 20 ucranianos, 5 argentinos, um colombiano e 10 animais

  • Blog do Nolasco | BLOG DO NOLASCO, do R7

Cargueiro KC-390 Millennium é o maior avião militar construído no Hemisfério Sul

Cargueiro KC-390 Millennium é o maior avião militar construído no Hemisfério Sul

Sarah Teófilo/R7

O avião da FAB (Força Aérea Brasileira) enviado à Polônia para retirar brasileiros que conseguiram cruzar a fronteira da Ucrânia para fugir da guerra retornará ao Brasil com 68 repatriados. Desse total, há 42 brasileiros, 20 ucranianos, cinco argentinos e um colombiano. A aeronave também transportará dez animais. O retorno está previsto para esta quinta-feira (10). O avião vai decolar de Varsóvia, a quase 800 km de Kiev, capital ucraniana.

A aeronave decolou para a Ucrânia nesta segunda-feira (7), na chamada Operação Repatriação, carregado com cerca de 11,5 toneladas de medicamentos, alimentos e itens de primeira necessidade para serem doados pelo Brasil como auxílio humanitário às vítimas da guerra.

O cargueiro KC-390 Millennium é o maior avião militar construído no Hemisfério Sul. O mesmo modelo já foi usado em outras missões de ajuda humanitária, como no Haiti, em 2012.

Cessar-fogo

Nesta terça-feira (8), a Rússia anunciou um cessar-fogo temporário na Ucrânia a partir desta quarta (8). A medida visa garantir a saída de civis ucranianos.

As tréguas humanitárias vêm sendo motivo de polêmica na guerra entre Rússia e Ucrânia. No último sábado (5), os russos acusaram tropas nacionalistas ucranianas de impedir a evacuação da população civil de Mariupol e Volnovakha, no sudeste da Ucrânia, e garantiram que, das 215 mil pessoas das duas cidades cuja saída teria sido permitida, nenhuma chegou aos corredores humanitários abertos.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas