Nosso Mundo Corinthians caminha para a Série B, se nada mudar

Corinthians caminha para a Série B, se nada mudar

No atual elenco do Corinthians, há algum fator emocional que tem impedido o time de jogar; próximos jogos serão muito difíceis

  • Nosso Mundo | Eugenio Goussinsky, do R7

Gil é um dos que já atuaram na seleção

Gil é um dos que já atuaram na seleção

Fernando Bizerra/EFE/05-08-20

Há muito tempo, o Corinthians é um time que não reage. Jogador de futebol acaba mesmo sendo muito influenciado pelo que dizem os outros. Neste caso, a imprensa. Não dá para saber ao certo como isso começou: o Corinthians joga mal porque a imprensa fala que os jogadores são limitados ou a imprensa fala que os jogadores são limitados porque o Corinthians joga mal?

Veja também: Após apelo de Felipe Melo, Bolsonaro promete agir para libertar brasileiro preso na Rússia

Só se salva deste redemoinho aquele que tem uma autoconfiança suficiente para acreditar no próprio potencial de atuar no clube. E assim, Felipe, zagueiro que era ridicularizado, hoje está na seleção e é sensação do Atlético de Madri. Willian, que não sabia chutar, é um dos melhores jogadores do mundo, na minha opinião. O bom jogador Rodriguinho, antes da conquista de 2015, era visto como um peso, pingando de clube em clube.

No atual elenco do Corinthians, isso não está acontecendo. Há claramente algum fator emocional que tem impedido o time de jogar. As partidas, independentemente do técnico, são arrastadas, a equipe não se encontra. E não se pode falar da qualidade do elenco.

No time titular, cinco jogadores já atuaram na seleção brasileira: Cássio, Fágner, Gil, Luan e Jô. Cantillo atua no bom time da Colômbia e Otero, na Venezuela, que evoluiu nos últimos anos. Não tenho dúvidas de que, bem articulada, a equipe poderia estar disputando as primeiras colocações.

A questão é que, daqui a pouco, o time não terá mais tempo de reagir. O Corinthians não vence há quatro jogos e não convence desde o início do campeonato. Jogará as duas próximas fora de casa, contra o Ceará (11) e Athletico-PR (14).

Quando voltar a atuar em seus domínios, enfrentará ninguém menos do que o Flamengo (17), melhor equipe do Brasil e em ascensão. Depois, o Vasco fora de casa (21).

As perspectivas, portanto, não são nada boas. E se o time não se encontrar, rapidamente agora, poderá sair dessa sequência de jogos em uma posição, já bem dentro da zona de rebaixamento, da qual será muito difícil sair.

A história mostra que elencos bons também caem. Em 2002, o Palmeiras caiu com nomes como Marcos, Zinho, Arce, Nenê e Dodô, entre outros. O Corinthians, em 2007, foi rebaixado com Vampeta, Felipe (goleiro), Dentinho e ninguém menos do que Éverton Ribeiro.

Claro que, naquele contexto, outros jogadores menos técnicos atuaram junto, já que, nestes casos, os treinadores, pressionados, nem sabem mais quem é bom ou não. Se continuar assim, o Corinthians caminha para essa trilha que, invariavelmente, leva à Série B.

Confira famosos que guardam carinho por clubes brasileiros

Últimas